sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

História de Santa Josefina Bakhita


Santa Josefina Bakhita nasceu no Sudão, em 1869 e viveu a dureza da escravidão. Bakhita significa “afortunada” mas não foi o nome dado a ela pelos pais e por uma das pessoas que, certa vez, a comprou.

Por intermédio de um cônsul italiano que a comprou, ela foi entregue a uma família amiga deste de Veneza. Ali, ela tornou-se amiga e também babá da filha mais nova deles que estava para nascer.

Em meio aos sofrimentos e a uma memória toda marcada pela dor e pelos medos, ela foi visitada pelo amor de Deus. Porque essa família de Veneza teve de voltar para a África, em vista de negócios, tanto a filha pequena quanto a babá foram entregues aos cuidados de irmãs religiosas de Santa Madalena de Canossa. Ali, Santa Bakhita conheceu o Evangelho; conhecendo a pessoa de Jesus, foi se apaixonando cada vez mais por Ele.

Com 21 anos, recebeu a graça do sacramento do batismo. Livremente, ela O acolheu e foi crescendo na vida de oração, experimentando o amor de Deus e se abrindo à ação do Espírito Santo.

Quando aqueles amigos voltaram para pegar Bakhita e a criança, foi o momento em que ela expressou o seu desejo de permanecer no local, porque queria ser religiosa. Passado o tempo de formação, recebeu a graça de ser acolhida como religiosa. Isso foi sinal de Deus para as irmãs e para o povo que rodeava aquela região.

Santa Josefina Bakhita, sempre com o sorriso nos lábios, foi uma mulher de trabalho. Exerceu várias atividades na congregação. Como porteira e bordadeira, ela serviu a Deus por intermédio dos irmãos. Carinhosamente, ela chamava a Deus como seu patrão, “o meu Patrão”, ela dizia.

Conhecida por muitos pela alegria e pela paz que comunicava, ela, com o passar dos anos, foi acometida por uma grave enfermidade. Sofreu por muito tempo, mas na sua devoção a Santíssima Virgem, na sua vida de oração, sacramental, de entrega total ao Senhor, ela pôde se deixar trabalhar por Deus, seu verdadeiro libertador. Ela partiu para a glória e foi canonizada pelo Papa João Paulo II no ano 2000.

Oração:

Ó Santa Josefina Bakhita, que, desde menina, foste enriquecida por Deus com tantos dons e a Ele correspondeste com todo o amor, olha por nós.
Intercede junto ao Senhor para que cresçamos no Seu amor e no amor a todas as criaturas humanas, sem distinção de idade, de raça, de cor ou de situação social.
Que pratiquemos sempre, como tu, as virtudes da fé, da esperança, da caridade, da humildade, da castidade e da obediência. Pede, agora, ao Pai do Céu, oh Bakhita, as graças que mais preciso, especialmente (pedido).
Amém.

MISSA PELO DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO E REFLEXÃO CONTRA O TRÁFICO DE PESSOAS





Porto Alegre vai participar da Jornada Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas. O evento é convocação do Papa Francisco para a Igreja Católica. Na capital gaúcha, será celebrada uma Missa na sexta-feira (07), às 16h, na Igreja do Rosário, presidida por Dom Adilson Busin, bispo integrante da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

A jornada de Porto Alegre é organizada pela Rede Um Grito pela Vida, da Conferência dos Religiosos do Brasil. O grupo reúne diversas congregações religiosas e grupos sociais que defendem a causa da erradicação do Tráfico. Além disso, conta com o apoio do regional gaúcho da CNBB. O objetivo é o de rezar, conscientizar e pedir políticas públicas para a erradicação desse crime que o Papa chamou de “fenômeno global” e “chaga vergonhosa”.




De acordo a Irmã Maria Bernardete Macarini, religiosa da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria e secretária nacional da Rede Um Grito Pela Vida, a jornada celebra a memória de Santa Josefina Bakhita (1869-1947), sudanesa, primeira santa da África, canonizada no ano 2000. Em vida, Bakhita foi traficada para fins de trabalho doméstico.

“Santa Bakhita também foi escrava, vendida e que sofreu na pele a dor do tráfico humano, da exploração e da violência. Ela, quando adulta, se tornou religiosa. O Papa Francisco instituiu o dia 08 de fevereiro como dia mundial de oração contra o tráfico de pessoas em homenagem a ela, que também é a padroeira das vítimas desse tipo de crime” disse a secretária nacional.

Irmã Bernardete afirma que este é um crime muito presente na sociedade. As vítimas, de crianças a adultos, em sua maioria, são pessoas pobres, especialmente adolescentes e mulheres. Atraídas por proposta de emprego e ganhos volumosos, acabam sendo abusadas ou exploradas sexualmente. O tráfico humano também acontece para fins de trabalho doméstico, trabalho escravo no campo ou na cidade, tráfico de drogas, adoção ilegal e venda de órgãos.

A religiosa aponta que há rotas 28 rotas de tráfico humano no Rio Grande do Sul, sobretudo na região de fronteira, porém, este dado é extraoficial. Não há estatísticas oficiais sobre o número de rotas, vítimas e encaminhamento por parte do estado, que possui em sua estrutura o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, o NETP/RS.

“O trabalho da Rede Um Grito Pela Vida é o de conscientização, de mobilização e prevenção. No momento em que identificamos alguns casos, o caminho é repassar para o NEPT, que é quem tem autoridade para tal. Entretanto, com as sucessivas mudanças de governo, estamos sempre refazendo as ações, o que dificulta o trabalho de identificar as rotas com precisão e de encaminhar as pessoas.” pontuou.

Irmã Bernardete afirmou ainda que a conscientização da sociedade ainda é o melhor caminho para erradicar o tráfico:

“Como afirma o propósito da jornada, somos chamados a acender uma luz contra o tráfico de pessoas e permanecer em vigília constante” concluiu.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Semana Santa Josefina Bakhita e Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas

De 03 a 08 de fevereiro, vivemos a Semana Santa Josefina Bakhita e do Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas. Esta é uma oportunidade para reafirmar aquilo que temos como motivação: “Juntos contra o Tráfico de Pessoas”. Confira a mensagem da coordenação nacional da Rede Um Grito Pela Vida.




sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Prelazia de Itacoatiara/AM no dia 28/01/2020

A Rede um Grito pela Vida da Prelazia de Itacoatiara/AM no dia 28/01/2020 realizou um Ato Público para celebrar o dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo.

1º Momento - Ato feito na Avenida Parque - Tivemos o grande apoio de nosso Bispo Dom Ionilton, também da CPT, Casa Maria, UBM, e Caritas local

 2º Momento - Roda de conversa entre um grupo interessado no assunto. Encerramos com um lanche de partilha.


Irmã Rose Bertoldo recebe reconhecimento internacional





A instituição Catholic Church Reform International´s, uma rede global com mais de uma centena de grupos presente em 65 países, tem sua sede nos Estados Unidos. Reconhecida pelo seu trabalho incansável na luta pela reforma a Irmã Rose Bertoldo está  especialmente no enfrentamento ao tráfico de pessoas e na equidade de gênero e na Igreja Católica.

Seguindo a doutrina do Concilio Vaticano II, que tem sido retomada pelo Papa Francisco, a instituição pretende fazer realidade um novo jeito de ser Igreja, uma dimensão cada vez mais necessária diante da situação atual que a sociedade e a Igreja católica está vivendo, com constantes ataques de grupos que pretendem retomar o modo pre-conciliar.

Desde o trabalho em rede, que tem como fundamento a interação e colaboração dos diferentes grupos e pessoas que fazem parte da organização, pretende fazer realidade uma Igreja que tenha como base o amor e não as leis, sempre em interação com o mundo, que deve ser melhor para todos e todas.

Katia Bond, integrante  da Rede Catholic Church Reform International´s, entregou na noite do dia 23 de janeiro em João Pessoa a placa onde confere em nível mundial o premio em segundo lugar a Ir. Rose Bertoldo, como reconhecimento do seu trabalho.

A religiosa da Congregação da Irmãs do Imaculado Coração de Maria, que trabalha na Amazônia desde fevereiro de 2012, foi uma das auditoras na assembleia sinodal do Sínodo para Amazônia, que aconteceu em Roma, de 6 a 27 de 2019. Esse sínodo tem sido considerado por muitos como um momento de grande importância dentro do processo de reforma eclesial. De fato, as vozes das mulheres e dos indígenas foram avaliadas como elemento fundamental nos debates desenvolvidos ao longo do processo sinodal.

O enfrentamento ao tráfico de pessoas, uma dimensão presente na reflexão sinodal, recolhida no Documento Final do Sínodo para a Amazônia, é uma das grandes problemáticas presentes na Pan-Amazônia, uma das muitas chagas que ferem os povos da região, especialmente os coletivos mais vulneráveis, dentre eles as mulheres e as crianças. O trabalho desenvolvido pela Rede um Grito pela Vida, da qual Rose Bertoldo faz parte, tem sido um forte impulso na conscientização e combate, também dentro da Igreja católica.

Segundo Irmã Rose Bertoldo, “ é com muita gratidão que recebi esta premiação, um reconhecimento pelo trabalho que a Rede Um Grito pela Vida vem realizando ao longo destes anos, especialmente em todo o processo de preparação para a assembleia sinodal na Igreja da Amazônia, muitos passos significativos temos dados no cuidado com a vida, um longo processo de articulação e formação de lideranças em muitos espaços eclesiais, o que tem contribuído para que a Igreja assuma como missão  a defesa da vida das pessoas que são vitimas do abuso, exploração sexual e o tráfico de pessoas.”

Luis Miguel Modino

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

REDE UM GRITO PELA VIDA de Manaus, presente no seminário: Socializar para multiplicar. Eu, protagonista. Promovido pelo projeto IÇÁ da Caritas.



terça-feira, 26 de novembro de 2019

THALITA X BAKHITA/MG



MiDHia – Nº1 / Nov /2019


“Levanta e anda”JC


Olá irmãos e irmãs!


A data de hoje tem um significado para todos/as que lutam em defesa da vida, no combate ao tráfico humano, trabalho escravo e exploração sexual infantil de adolescentes e adultos vulneráveis. O dia da Consciência Negra no Brasil lembrado neste 20/11, incentiva os agentes defensores da vida a ouvirem a voz de Deus que clama no sofrimento do irmão/a. "Levanta e anda”. Santa Bakhita nos inspira a caminhar sempre, pois, essa menina que vi vendida e escrava defendeu sua raça, sua gente.

Com nossa patrona abraçamos Zumbi e ex Dandara, esperando que o projeto “Eu vim para que todos tenham vida”, seja a motivação de caminhada para a REDE UM GRITO PELA VIDA. Nosso trabalho será colaborativo, no qual todos /as participam. Esse instrumento realiza a experiência compartilhada com o blog: http://gritopelavida.com

FALANDO DA GENTE por Ana Lúcia Figueiredo

Representantes dessa Rede/MG se reuniram no dia 13/11/2019 na casa das irmãs Carmelitas de Vedruna, para avaliar os trabalhos e traçar a linha de ação para o ano 2020.

Estiveram presentes e deliberaram ao Irmão como coordenador, Ir. Maria Teixeira Filho , secretária, ir. Margarida Frans e assumiram a comunicação: Ana Lúcia Figueiredo – leiga, Eluziane Viana Araujo – formanda. Muito importante as ações programadas para Belo Horizonte e para o Estado de Minas.

Com muita determinação as irmãs Claudiceia Ribeiro dos Santos, Celuta da cunha Teles, Nilza Manuel Massageie e a leiga Anilda da Silva, desenharam os passos no caminho da conscientização, sensibilização e práticas de combate à violência.

Esse trabalho realizado antes nos locais como rodoviária, praças e eventos se estenderá para as escolas, igrejas, instituições e outros espaços.

Uma novidade é que esse grupo aproveitará a colaboração de artistas e os próprios alunos para
gravações audiovisuais a serem exibidos para a juventude.
A prioridade do grupo será a comunicação,visibilidade, sensibilidade e conscientização. 













segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Participação da Rede no IIº Congresso Católico






Dias 04 e 05 de Novembro aconteceu em São Paulo, nas dependências da Faculdade

de Comunicação FAPCOM, o IIº CONGRESSO CATÓLICO:

‘CONSTRUINDO IDENTIDADE EM MEIO À CRISE”.


Trata-se de um Congresso promovido pela Igreja Católica com a finalidade de abordar e

aprofundar questões relevantes em relação a abusos e escândalos

causados por religiosos e Clérigos dentro e fora da Igreja com adolescentes, crianças

e pessoas vulneráveis.


Uma representação da Rede “Um Grito pela Vida” Sul (Ir. Bernardete e Ir. Maria Helena) e Sudeste (Ir. Cirley), marcou presença nestes dias com objetivo de conhecer e aprofundar melhor essas questões tão pertinentes, para desenvolver nosso trabalho com mais assertividade, buscando diferentes caminhos para combater uma “cultura” ainda muito presente em nossa Igreja, de dominação e manipulação da vida.

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Assembleia Nacional Rede um Grito Pela Vida


ASSEMBLEIA NACIONAL DA REDE UM GRITO PELA VIDA


Grupo Participante

CONSTRUINDO A REDE EM DEFESA DA VIDA – Inspiradas por tema, pelo evangelho: “Eu vim para que todos tenham vida, e vida em abundância”, e em comunhão com o Sínodo da Amazônia, as Religiosas/os e leigas responsáveis pela Rede Um Grito pela Vida, representada pela Coordenação Nacional, Referenciais regionais e articuladoras dos 30 Núcleos da Rede, se encontraram no Convento São Francisco em São Paulo nos dias 18 – 20 de Outubro para partilhar, avaliar toda vida acontecida nesses dois últimos anos e a projeção para as atividades para os próximos três anos. 
Na Assembleia foi celebrado as inúmeras atividades realizadas em diferentes instâncias e com inúmeras parcerias neste belíssimo trabalho de doação em favor da vida em nosso País. Também definiram o Regimento da Rede, realizaram a eleição da Nova Coordenação para o próximo triênio e a escolha das cinco Referenciais Regionais que, junto com os Núcleos levarão a frente esse grito de vida e clamor das mulheres, jovens, crianças traficadas e tolhidas em sua liberdade e dignidade. 




Nosso profundo agradecimento pelo apoio da CRB Nacional na pessoa da Presidente Ir. Maria Inês, da Assessora Ir. Maria Luiza e de todas as congregações que direta ou indiretamente participam dessa bela missão. Obrigada especial as leigas e leigos que em nossos núcleos espalhados pelo Brasil, não medem esforços para essa doação e participação direta junto conosco.
O Papa Francisco em sua fala no encontro da Rede Talitha Kum, nos dizia: “Vocês escolheram estar na linha de frente. Por isso, as numerosas congregações que trabalharam e continuam trabalhando como “vanguardas” da ação missionária da Igreja contra a chaga do tráfico de pessoas, merecem reconhecimento. Trabalhar juntas. É um exemplo. É um exemplo para toda a Igreja, também para nós: homens, sacerdotes e bispos....”. “Se por um lado a responsabilidade pastoral é confiada essencialmente às Igrejas locais e aos Ordinários, por outro, deseja-se que eles saibam envolver no planejamento e na ação pastoral as congregações religiosas femininas e masculinas, e as organizações católicas presentes em seus territórios, a fim de tornar mais rápida e eficaz a obra da Igreja.”   
Continuaremos contando com o apoio e a força de toda VRC nesta missão. 
Ir. Valmí Bohn – IDP
Coordenadora Nacional da Rede Um Grito pela Vida



segunda-feira, 21 de outubro de 2019

REDE “UM GRITO PELA VIDA” - Piauí



O Núcleo da Rede “Um Grito pela Vida” localizado na cidade de Picos, no Estado do Piauí, iniciou sua atuação no ano de 2012, contando inicialmente com a participação de 04 (quatro) Religiosas, pertencentes a 03 (três) Congregações: Irmã Margarida das Dores Silva (Calvariana), Irmã Maria de Fátima Santos (Irmãs do Imaculado Coração de Maria) e as Irmãs Tomelina Maria Barbosa e Catharina Timmermans (Filhas de Jesus).
Inicialmente, as reuniões eram realizadas na residência da Irmã Margarida Silva. 
Atualmente,  o Núcleo agrega também Leigos e Leigas das mais diversas áreas profissionais, empenhados na prevenção e combate ao tráfico de pessoas.
Realizamos visitas periódicas a áreas vulnerabilizadas, participamos ativamente dos momentos significativos da nossa Diocese (Grito dos Excluídos, Caminhada da Solidariedade e da Paz, Assembléia Diocesana Pastoral, Campanha da Fraternidade, entre outros mais).
Damos visibilidade à temática, através das datas comemorativas do nosso calendário e da nossa agenda específicos.
E, em parceria com outros segmentos da nossa Comunidade, realizamos periodicamente o “Seminário de Direitos Humanos”, nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores.
Vale ressaltar, ainda, nossa presença em várias edições do “Nordestão”.
Rogamos a Deus que nos possibilite sermos sempre perseverantes em nossa caminhada.

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Capacitação - Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Cuiabá/MT

O Núcleo local da Rede “Um Grito pela VIDA”, em Cuiabá, fiel a sua Meta de conhecer e estabelecer articulação com os Grupos que assumem a pauta do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, através da Ir. Maria de Nazaré Lima,fma, marcou presença na reunião mensal do CETRAP- Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, no mês de julho, onde obteve importantes informações de Ações em andamento, abertas a participação da Rede GPV como: Dia de conscientização sobre o TP e a próxima Reunião Bilateral Brasil-Bolívia em Cuiabá nos dias 29 a 31 de julho. 
        Como fruto desta participação, a Ir. Maria de Nazaré,fma juntamente comigo, Ir. Elizabete Alves,IDP marcamos presença  na manhã de Formação para a Ação Conjunta a ser desenvolvida no dia 30 de julho, Dia de conscientização sobre o Tráfico de pessoas.  
A formação foi realizada na Secretaria da Ação Social em Várzea Grande-MT fortalecendo a preparação dos agentes sociais. Contou com a participação e explanação sobre o tema “Política de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas”,do Professor Esp. Rodrigues de Amorim Souza, facilitador da explanação.
      Dando continuidade a essa Meta de ampliar a articulação de Rede “Um Grito Pela Vida” onde estamos, somando forças/rede com os grupos já existentes, foi concretizado um segundo passo da REDE, conquistando uma vaga na Reunião Bilateral Brasil-Bolívia da qual participei e constituiu um marco importante para mim e para o nosso Núcleo local. Relato com satisfação:

SEGUNDA REUNIÃO BILATERAL BRASIL – BOLÍVIA SOBRE PREVENÇÃO E ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS.

Entre os dias 29 a 31 de julho de 2019, aconteceu a 2º reunião Bilateral entre Brasil e Bolívia. Teve como tema central: MAIS INTEGRAÇÃO PARA MAIS SEGURANÇA. Local: Casa Civil – Centro Político Administrativo de Cuiabá-MT.
Essa reunião contou com uma extensa programação: Histórico e encaminhamentos da primeira reunião; apresentação do diagnóstico sobre fronteira; avanços e desafios desde a primeira reunião; abertura da panfletagem da Campanha “Coração Azul”; pactuação dos encaminhamentos; e leitura e aprovação da ata da 2ª Reunião Bilateral.
Estiveram presentes, duas pessoas do Grupo Local -  Rede “Um Grito Pela Vida”, Irmã Elizabeth Alves – Congregação da Divina Providencia e Sr. Manoel Francisco da Silva Júnior. 
No segundo dia formaram-se três Grupos de Trabalho, e cada um trabalhou buscando propostas em cima dos seguintes eixos: Proteção e Atendimentos às vítimas, Responsabilização e Prevenção. 
Para além do objetivo proposto pela reunião, para mim a reunião foi muito significativa, apresentando algumas atividades e propostas na área da Saúde, Educação, Segurança e no Protocolo de Atendimento às vítimas do Tráfico de Pessoas.
Houve a oportunidade de trocar materiais e contatos com os representantes da Bolívia, em relação as Irmãs da Divina Providência que trabalham em área missionária na Bolívia.
Constatou-se que são fundamentais a integração e o intercâmbio, isso vem fortalecer e somar no enfrentamento e combate ao tráfico de pessoas e demais questões pertinentes a outras situações caracterizadas como Tráfico de Pessoas.
O Núcleo Local da Rede “Um grito pela VIDA”, estreitou as relações com o Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas / CETRAP e confirmou que cada vez mais é preciso somar forças e ultrapassar as  diferenças ( Ir. Elizabeth A. da Silva, IDP -  Rede GPV – Cuiabá/MT )

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

SEMINÁRIO DE DIREITOS HUMANOS E POLÍTICAS PÚBLICAS NESTE CHÃO DA AMAZÔNIA – Rio Branco/Acre





“O meu desejo é a vida do meu povo” (Est 7,3)
Em sintonia com o Sínodo para a Amazônia, nos dias 20 e 21 de setembro de 2019, realizou-se na Diocese de Rio Branco/AC, o Seminário de Direitos Humanos e Políticas Públicas neste chão da Amazônia, promovido pela Rede Um Grito Pela Vida, Comissão Pastoral da Terra, Conselho Indigenista Missionário, Pastoral da Juventude, Cáritas, Pastoral Familiar e Ordem Franciscana Secular. 
A atividade reuniu mais de 130 pessoas de diversos municípios do Acre e Porto Velho. Marcaram presença indígenas de seis etnias, agricultores, representantes do Ministério Público Estadual e do Centro de Defesa dos Direitos Humanos, professores da Universidade Federal do Acre, agentes de pastoral, muitas religiosas da CRB/Rio Branco, dentre outros que contribuíram na assessoria e análise da realidade. 
À luz do clamor de Ester “O meu desejo é a vida do meu povo” (7,3), o Seminário consistiu na reflexão e escuta sobre as causas e consequências da violência no campo e nas cidades. No campo, destacou-se a luta dos povos indígenas e agricultores pela proteção da floresta e demarcação de suas terras, a criminalização de lideranças rurais, mercantilização da natureza, dentre outros. 
No âmbito urbano, as reflexões voltaram-se sobre os desafios enfrentados pelos migrantes, pelas juventudes, pela realidade do tráfico de drogas, armas, encarceramento e a desumana rede de exploração, abuso e tráfico de pessoas, “chaga vergonhosa” que fere e vitimiza milhões de pessoas no mundo. 
A mística essencialmente sinodal que perpassou o Seminário foi a busca da escuta dos clamores e anseios dos povos amazônicos, do grito de indignação por tantas feridas abertas em seu seio, mas sobretudo a manifestação da esperança viva que move os pés, o coração e as mãos dos que continuam a lutar pela vida dos povos e da natureza. 
Unimos as vozes e fortalecemos as redes que GRITAM PELA VIDA em todos os espaços onde lhe é negada a dignidade e liberdade sonhada por Deus. E pelas ações coletivas, lançamos sementes esperançando o florescer do Bem Viver em nossa amada Amazônia.
“MEU DESEJO É A VIDA DO MEU POVO,
NESTE CHÃO DA AMAZÔNIA, FAZ A VIDA FLORESCER!”

Irmã Ellen Mayra Mendes
Núcleo de Rio Branco-AC

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

ASSEMBLEIA INTERNACIONAL TALITHA KUM – 21-27/09/2019 em Roma


“Juntos contra o Tráfico Humano, tecendo uma Rede de Amor”. Esse é o tema central da Assembleia Internacional da Celebração dos 10 anos da Rede Talitha Kum que acontece na sede da UISG em Roma entre os dias 21 – 27 de setembro. Com o objetivo de Agradecer, Avaliar e Planejar os passos para o futuro e com a finalidade de estabelecer as prioridades para o período de 2020 – 2025; identificar as orientações para o trabalho futuro de Talitha Kum e Fortalecer relações de colaboração entre as Redes de Talitha Kum. Nesta assembleia estamos em 87 delegadas de 44 redes do mundo.
Grupo de Delegadas


Representando o Brasil estão Ir. Valmí Bohn Coordenadora Nacional da Rede Um Grito pela Vida, Ir. Maria Luiza da Silva representando a CRB Nacional e Ir. Auta Maria da Silva representando os Núcleos.


“Uma das feridas mais dolorosas de nosso tempo é a ferida do tráfico de seres humanos, uma moderna forma de escravidão que viola a dignidade, dom de Deus, de tantos de nossos irmãos e irmãs...” (Papa Francisco)



Representantes da Rede Um Grito pela Vida com a presidente da UISG

É um tempo importante de troca de experiência, vivência de espiritualidade, convivência com muitas outras realidades, retomada das Orientações pastorais sobre o tráfico humano, tudo isso em vista da luta em favor da vida das pessoas que sofrem com a violência do tráfico humano.