domingo, 9 de agosto de 2020

Dom Pedro Casaldáliga – Profeta da Esperança

“Dá-nos a Paz que luta pela Paz.
A paz que nos invade com o vento do Espírito,
A Paz que se faz nossa, sem cercas e nem fronteiras
Paz que é perdão, retorno, abraço.
Dá-nos a Paz inquieta que não nos deixa em Paz”.

(Dom Pedro Casaldáliga)

A Rede Um Grito pela Vida se solidariza com a Congregação dos Claretianos e com todo povo de Deus, em especial seu povo da Prelazia de São Félix do Araguaia, que conheceu e conviveu com Dom Pedro – homem de profunda fé, inquieto, um pequeno grande homem que optou seguir e viver o Evangelho de forma radical e enraizada no chão dos mais pobres e oprimidos, levando muita esperança no coração. 

Que seu exemplo de vida, especialmente a sua luta incansável pelos Direitos Humanos e a luta por um Brasil melhor, nos fortaleça na luta por um mundo mais justo, mais humano e mais igualitário. Que ele continue eternamente ao lado dos mais necessitados e de todos os que lutam pela defesa da vida. Que sua vida ilumine a nossa vida sempre. Que seja nosso Profeta da Esperança.

Dom Pedro, Descanse na Paz do Senhor!

Em comunhão de preces e solidariedade,
Abraço Fraterno.

Coordenação Nacional da Rede Um Grito pela Vida

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Núcleo de Maceió participa de formação virtual

A reunião mensal da Rede Um Grito Pela Vida – Núcleo de Maceió (AL) foi mais uma oportunidade para mais conhecimento e capacitação do grupo.

No último dia 1º de agosto a reunião virtual deu início ao estudo do livro "Proteger a Infância", sobre prevenção ao abuso sexual de crianças e adolescentes: “a partilha foi excelente e ficamos animados/as com essa iniciativa do grupo. Vamos continuar a nossa formação em cada reunião mensal. É uma preparação para futuramente oferecer oficinas de formação sobre o assunto” destaca mensagem do núcleo. 

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Vídeo - Quanto vale a Vida?

A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, apresenta o vídeo sobre a triste realidade do Tráfico de Pessoas e a missão da Comissão no enfrentamento às violações contra a humanidade. A defesa da vida, através da comunicação, articulação e formação com as forças da sociedade e das lideranças eclesiais são essenciais para a mudança desta realidade.

A Rede Um Grito Pela Vida participa da comissão.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Talitha Kum: Levante sua voz!

Levante sua voz!
Não silencie! Denuncie o Tráfico de Pessoas!

Mensagem da coordenação nacional da Rede Um Grito Pela Vida



O lucro da escravidão deve parar agora! 

 Os corpos, os sonhos, a força da vida e a dignidade dos nossos irmãos NÃO ESTÃO À VENDA!
📣 No Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos, a mensagem da coordenação nacional da Rede Um Grito Pela Vida.
🔴 MOBILIZE-SE A FAVOR DA VIDA - Junte-se a Rede Um Grito pela Vida e vamos juntos combater esse mal que fere a vida e a dignidade de tantas pessoas.

 Não silencie! Denuncie o Tráfico de Pessoas

Dia de oração pelas vítimas do tráfico de pessoas


No dia 30 de junho de 2020, Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de pessoas, a Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), convida você para um momento de silêncio, acender uma vela e fazer uma oração pelas vítimas do tráfico de pessoas.
Pede-se que tire uma foto da vela e publique em suas redes sociais com as hashtags:

Núcleo de Porto Alegre publica vídeo sobre o enfrentamento ao Tráfico Humano


No Rio Grande do Sul, a o núcleo da Rede Um Grito Pela Vida publicou mensagem em vídeo como ação virtual pelo Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Assista!

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Live: “Quanto vale a vida?”

Este momento integra a campanha “Quanto vale a vida?”, que tem o objetivo de mobilizar e sensibilizar a sociedade brasileira para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, na semana do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, 30 de julho.

A campanha também pretende chamar a atenção do poder público para a promoção e inclusão social das vítimas e a garantia de seus direitos. Esta é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Os convidados para este momento são o bispo da prelazia do Marajó (PA) e presidente da CEPEETH, dom Evaristo Pascoal Spengler, a irmã Eurides Alves de Oliveira, que é membro da Comissão e da Rede Um Grito Pela Vida, e de Roberto Marinucci, do Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios.

Acompanhe hoje, a partir das às 19h.

Saiba como não ser mais uma vítima do Tráfico Humano

Fique atento! Saiba como não ser mais uma vítima do Tráfico Humano.


Não silencie! Denuncie o Tráfico de Pessoas!

Live: Tráfico humano em tempo de pandemia em debate; assista!

Na semana do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos, que será no dia 30 de julho, a Rede Um Grito Pela Vida - Núcleo de João Pessoa/PB, promoveu uma live para a debater o tráfico humo em tempo de pandemia. 

A live acontecerá foi transmitida na noite da  terça-feira, 28 de julho, às 19h, pelo Facebook e Youtube da Conferência dos Religiosos (as) do Brasil, a CRB Nacional. Assista:

Tráfico Humano: Pandemia aumenta a vulnerabilidade social

 Estejamos alertas!

A pandemia aumento a situação de vulnerabilidade social. É nesse contexto que as redes de tráfico aliciam as vítimas com falsas promessas de emprego e ganho financeiro.



Ouça a mensagem a Irmã Salete Arcari, salvatoriana, da Rede Um Grito Pela Vida em Florianópolis, Santa Catarina.



Não silencie!  Denuncie o Tráfico de Pessoas!

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Os números do tráfico humano

No vídeo de hoje, a mensagem do Pastor Marco Aurélio de Sousa, de Goiânia (GO).

Os bilhões de dólares que as redes de tráfico humano faturam estão manchadas de sangue e de sofrimento de milhões de irmãos e irmãs que são enganados, explorados e submetido às piores condições de vida! Você pode rever esse quadro!

Não silencie! Denuncie o Tráfico de Pessoas!

Tráfico Humano e migração

📌67 milhões de pessoas se deslocam pelo mundo em condição de violação de direitos.

Na esperança de alcançar uma vida melhor, acabam caindo nas mãos dos traficantes de pessoas. Suas dignidades são violadas e os sonhos viram sofrimento. Não podemos aceitar essa realidade!

Saiba mais sobre essa realidade na mensagem da Irmã Teresinha Scapin, CIIC, do Núcleo da Rede Um Grito Pela Vida do Acre.

Tráfico Humano e o tráfico de órgãos

Você sabe que o Brasil é um dos cinco países que mais registram transplante ilícito de doadores vivos? Nossa luta é contra o tráfico de órgãos, que também é uma das modalidades de Tráfico Humano!
Junte-se a nós na luta pela vida!

Não silencie! Denuncie o Tráfico de Pessoas!

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Live: Tráfico humano em tempo de pandemia


Na semana do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos, a Rede Um Grito Pela Vida, Núcleo de João Pessoa/PB, abre espaço para o debate sobe o Tráfico Humano em tempo pandemia.



A live acontecerá no dia 28 de julho, às 19h, com transmissão via facebook e youtube (abaixo). Confira as debatedoras e os debatedores.

A atividade conta com o apoio da CRB Nacional.

Campanha “Quanto vale a vida?”


A atriz Dira Paes tem um convite especial - participe da mobilização da campanha “Quanto vale a vida?”, ação da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
O objetivo é mobilizar e sensibilizar a Igreja do Brasil, assim como toda a sociedade brasileira, para o enfreamento ao tráfico de pessoas na semana do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, 30 de julho. Assista!

Pelo fim da exploração de sexual de crianças e adolescentes

BASTA! Pela vida das crianças e adolescentes! Pelo fim da exploração sexual!


Nosso GRITO PELA VIDA denuncia o tráfico humano com fins de exploração sexual das crianças e adolescentes.


Nossa mobilização virtual conta hoje com a mensagem da Elizabeth Leite Quixabeira, da Congregação das Pias Irmãs da Redenção, representante do Núcleo da Rede Um Grito Pela Vida em Fortaleza – Ceará.

Live: 30 anos de Estatuto da Criança e Adolescente - Avanços e desafios

Perdeu a live do Dia 18? Está aqui a oportunidade pra assistir!
A Rede Um Grito Pela Vida, Núcleo da CRB de Belo Horizonte/MG,  realizou no dia 18 de julho uma roda de conversa sobre os 30 anos do ECA: avanços e desafios. Assista.

CNBB realiza mobilização contra o tráfico de pessoas

Campanha “Quanto vale a vida?” denuncia a violação humana que sofrem as vítimas do tráfico de pessoas e pretende sensibilizar Igreja e sociedade.


Entre os dias 26 e 30 de julho, a Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realiza a campanha “Quanto vale a vida?”. O objetivo é mobilizar e sensibilizar a Igreja do Brasil, assim como toda a sociedade brasileira, para o enfrentamento ao tráfico de pessoas na semana do Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, 30 de julho. A campanha também pretende chamar a atenção do poder público para a promoção e inclusão social das vítimas e a garantia de seus direitos.

Durante a semana serão lançados dois vídeo, spot para rádio e materiais informativos sobre o tema relacionado ao tráfico de mulheres, crianças e migrantes. No dia 29, haverá uma livre com as participações de dom Evaristo Pascoal Spengler e Irmã Eurides Alves de Oliveira, ambos da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento do Tráfico Humano e Roberto Marinucci, do Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios. A transmissão será pelas redes Sociais da Cáritas Brasileira. também nesse dia a Comissão convida para a realização de um gesto concreto: acender uma vela e, em oração, fazer um minuto de silêncio pelas vítimas do tráfico de pessoas. Pede-se que tire uma foto da luz e publique em suas redes sociais com as hashtags: #TraficoHumanoNão e #Endhumantrafficking #CNBB.

Diante da gravidade desse crime, a Comissão pede uma atuação firme das instituições públicas, para que haja um efetivo combate a esse mal e a punição de agentes criminosos.
O tráfico humano desumaniza e transforma as pessoas em objetos, arrancando-lhes a dignidade e a liberdade, dois direitos essenciais. O tráfico de pessoas tem várias finalidades, como a exploração sexual, o trabalho escravo, o trabalho doméstico, a comercialização de órgãos e a adoção ilegal, entre outras. A maioria das vítimas do tráfico de pessoas identificadas no mundo é composta por mulheres, crianças e adolescentes, aliciadas para a exploração sexual. Em segundo lugar, vem a finalidade do trabalho escravo.

O papa Francisco atribui enorme importância ao drama de milhões de pessoas – homens, mulheres e crianças –, que são objeto de tráfico e outras formas de escravidão contemporânea. O tráfico de pessoas, afirma Francisco, é um flagelo “atroz, uma chaga”. Segundo o papa, não se pode responder ao tráfico de pessoas apenas com “compromissos solenemente assumidos”. “Devemos ter cuidado com as nossas instituições – e na verdade com todos os nossos esforços – para que sejam realmente eficazes na luta contra estes flagelos”. 
O tráfico de pessoas contraria a ideia de que “Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância” (Jo 10,10).

História de uma sobrevivente

A história de Jucilene mostra a violência da situação. Abusada e explorada sexualmente por um parente próximo, dos 10 aos 18 anos, foi expulsa de casa quando o denunciou. Aos 27 anos, apareceu uma oportunidade para que sua vida mudasse. Surgiu na porta da escola onde cursava o Técnico em Enfermagem uma proposta irrecusável: trabalhar no exterior, aprender um novo idioma e crescer profissionalmente. Ela aceitou o convite para mudar-se a Roma, Itália. 

Cerca de 30 dias depois do convite, ela embarcou e aterrissou em um pesadelo. “Quando chegamos ao apartamento em Roma, abriu a porta, entramos e ele a trancou. Estávamos sozinhos em um quarto escuro e abandonado. Quando me virei, ele segurava um revólver. Pegou meu passaporte, me espancou, me estuprou.”

Começava o trabalho escravo para a jovem. Por cerca de três meses, foi abusada sexualmente por seu aliciador, e, à noite, era negociada com outras meninas, nos “clubes” de Roma. “As meninas ficavam em fila, e os clientes olhavam por um buraco, escolhiam e íamos para os quartos que nem tinham camas, nada. Era no chão mesmo, era assustador o que faziam com a gente”, conta Jucilene que se via obrigada a injetar drogas nas demais meninas e em si mesma, para que pudessem suportar as diferentes formas de exploração sexual a que eram submetidas. Se quiser saber mais sobre a história acesse aqui https://bit.ly/3ji80dv. Ela concedeu a entrevista em 2013, mas até hoje ela sofre as consequências desse crime.

Por Alessandra Miranda - CNBB

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Tráfico Humano e a adoção ilegal


Não se pode romantizar a adoção ilegal de crianças e adolescentes. É crime! É Tráfico humano! O alerta é feito pela psicóloga Gleide dos Santos Messias, da Rede Um Grito Pela Vida – regional Bahia- Sergipe.


  Não se cale! Denuncie o Tráfico de Pessoas

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Retomadas as reuniões da Rede Um Grito Pela Vida – Núcleo de Maceió (AL)

Após alguns meses sem reunião, o Núcleo da Rede Um Grito Pela Vida de Maceió, em Alagoas, promoveu reunião virtual em dia 17 de julho. 

“Foi uma experiência muito positivo e uma alegria poder se encontrar” diz mensagem enviada pelo núcleo.

Na atividade, o planejamento da Rede Um Grito Pela Vida foi conhecido e analisado por todos. O grupo também projetou as próximas ações conjuntas como, por exemplo, a atividade de formação com o estudo do livro “Proteger a infância”.


Sonhos viram pesadelo: a realidade do trabalho escravo

Nossa mobilização hoje fala sobre o Trabalho Escravo. Uma triste realidade que transforma em pesadelo o sonho de milhares de trabalhadores e trabalhadoras. O Tráfico de Pessoas com essa finalidade também deve ser erradicado.
Assista a mensagem do Irmão Vando Rosa De Mendonça, da Rede Um Grito Pela Vida, Núcleo de Belo Horizonte (MG)

terça-feira, 21 de julho de 2020

Tráfico Humano: Mulheres e meninas usadas para a exploração sexual

Mulheres e meninas – estas são as vítimas potenciais do Tráfico de Pessoas. No segundo dia da nossa mobilização contra o Tráfico Humano Internacional, destacamos essa vergonhosa estatística: 75% das vítimas tem rosto feminino e são usadas para fins de exploração sexual. Compartilhe a nossa campanha! Confira a mensagem da Irmã Roselei Bertoldo, ICM, do Núcleo da Rede Um grito Pela Vida de Manaus, no Amazonas

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Rede Um Grito Pela Vida inicia mobilização virtual



O Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos acontecerá no próximo dia 30 de julho. A data é uma oportunidade para reflexão, denúncia e luta pela erradicação desse crime, por uma maior incidência política e por mais políticas públicas que assegurem a vida e a dignidade das pessoas traficadas.

Em meio à pandemia do coronavírus, sem a possibilidade de mobilização nas ruas, a Rede Um Grito Pela Vida promove uma mobilização virtual, com foco na disseminação de informação como ação de formação e prevenção.

“Publicaremos vídeos e informações em nosso facebook e no blog. Com isso, queremos mobilizar a Vida Religiosa, aos leigos e leigas parceiros dessa missão, bem como as forças vivas da sociedade nas ações de enfrentamento a esse crime tão presente em nossa realidade” afirma Ir. ‎Ir Valmi Bohn‎, idp, integrante da coordenação nacional da Rede (foto ao lado).

Entre os dias 20 e 30 de julho, os coordenadores e coordenadoras  dos núcleos da Rede Um Grito Pela Vida abordarão, em vídeos, os diferentes aspectos do tráfico humano: perfil das vítimas, modalidades e formas de erradicação.

A mobilização virtual no Brasil não é isolada. Está unidas as demais redes religiosas latino-americanas  que encampam a semana de mobilização.

Acompanhe os conteúdos em nosso blog e no facebook. No primeiro vídeo, a mensagem do jornalista Magnus Regis, que contribui com a comunicação da Rede Um Grito Pela Vida.





segunda-feira, 13 de julho de 2020

30 anos do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente


Com toda sociedade celebramos os 30 anos do ECA - Estatuto da Criança e Adolescente. A Lei nº 8.069/1990, assinada em 13 de julho de 1990, dispõe sobre a proteção integral para as crianças e adolescentes com menos de 18 anos. Foram muitas as conquistas alcançadas, mas há muitos desafios a serem superados. Cada pessoa deve sentir-se parte desta luta de promoção e defesa da vida das nossas crianças e adolescentes!

domingo, 12 de julho de 2020

Live: 30 anos do ECA - avanços e desafios


O ano de 2020 marca os 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA. A Lei nº 8.069/1990, assinada em 13 de julho de 1990, dispõe sobre a proteção integral para as crianças e adolescentes e com menos de 18 anos.

Passadas estas três décadas, quais foram as conquistas? Quais os desafios no hoje da história? E o que o futuro reserva?

São estas as perguntas que serão abordadas durante uma live, no sábado, dia 18 de julho, às 16h, no facebook da Rede Um Grito Pela Vida. 

Live: 30 anos de Estatuto da Criança e Adolescente - Avanços e desafios
Data/Hora: 18 de Julho - 16h

Participam

Rogério Rêgo,
Conselheiro Tutelar em Belho Horizonte (MG)

Irmã Valmi, idp
Integrante da Coordenação Nacional da Rede Um Grito Pela Vida

Davidson Nascimento
Consultor da AconteceMG 

Irmão Vando Rosa de Mendonça
Rede Um Grito pela Vida / CRB MInas Gerais

A live acontece em preparação a 26º Grito dos Excluídos/as.

Assista pelo Facebook. Clique aqui.

terça-feira, 30 de junho de 2020

Rede CLAMOR Brasil: Articulação do trabalho eclesial com migrantes, refugiados e vítimas de tráfico humano

Um dos fundamentos da vida da Igreja é a comunhão, um princípio evangélico, que se concretiza quando se consegue fazer realidade uma articulação em rede, como bem lembra a Irmã Rosita Milesi, do Instituto de Migrações e Direitos Humanos. Nesse campo da mobilidade humana, a Igreja do Brasil vem trabalhando desde há vários anos através de diferentes instituições e serviços, mas se faz necessário dar passos na articulação desse grande labor que está sendo desenvolvido.

A reportagem é de Luis Miguel Modino, publicada originalmente pelo Instituto Humanitas Unisinos.


Nesse avanço, aconteceu uma reunião no dia 26 de junho, convocada pelo secretário da Comissão para a Ação Sócio-transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, frei Olavio Dotto, onde foi apresentada a Rede CLAMOR, que tem sido considerada pelos participantes como um momento muito proveitoso. O encontro virtual contou com a participação do secretário geral da CNBB, Dom Joel Portela, o presidente da Comissão Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, Dom Evaristo Spengler, assim como representantes das organizações que estão atuando nesse campo, como a Rede um Grito pela Vida, a Cáritas brasileira, o Serviço Pastoral do Migrante, o Setor de Mobilidade Humana, que congrega uma série de organizações, como o Apostolado do Mar, a Pastoral da Estrada, a Pastoral dos Ciganos, também representantes dos scalabrinianos, scalibrinianas, da Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB, assim como congregações que também participam desta rede nos demais países.

A Rede CLAMOR, que está ligada ao Conselho Episcopal Latino-Americano – CELAM, podendo ser definida, segundo o Padre Agnaldo Júnior, diretor nacional do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados, como “um espaço de articulação de serviços que a Igreja católica tem atuando na área da migração, do refúgio e do enfrentamento ao tráfico de pessoas, uma rede de redes”. Essa rede, segundo o jesuíta, está formada pelos departamentos de mobilidade humana de cada Conferência Episcopal, pela Cáritas, que em todos os países atua de alguma forma com esses coletivos de migrantes e refugiados e alguma atenção ao enfrentamento ao tráfico, assim como congregações religiosas, que por carisma, ou por estarem no tema já alguns anos, atuam nesta área: scalabrinianos, scalabrinianas, jesuítas, franciscanos, também algumas irmãs representando a CRB ou a Rede um Grito pela Vida. Junto com isso, as redes de enfrentamento ao tráfico no continente latino-americano e caribenho, a Rede um Grito pela Vida, no Brasil, a Rede Kawsay e a Rede Tamar.

A criação e articulação da Rede CLAMOR no Brasil é de fundamental importância, afirma a irmã Rose Bertoldo, da Rede um Grito pela Vida, “principalmente neste momento histórico em que vivemos, ela tem como proposição articular as forças entre as redes que já existem, entre as instituições que trabalham com migrantes, refugiados e vítimas do tráfico de pessoas”. Essa é uma ideia partilhada pela irmã Rosita Milesi, quem destaca que a rede “se propõe estimular e favorecer um espaço de articulação das instituições e serviços voltados a migrantes, refugiados e vítimas de tráfico humano”.

Nesse sentido, a Rede CLAMOR afirma que "estamos comprometidos com as orientações que, em matéria de ação pastoral com migrantes, refugiados e atenção a vítimas do tráfico humano, o Papa Francisco apresenta, através da seção específica para estas pessoas em mobilidade do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral: acolher, proteger, promover e integrar". Nessa perspectiva, o Padre Agnaldo Júnior insiste em que “é uma realidade que a Igreja não pode ficar indiferente, e, é mais, temos um Papa extremamente identificado, sensibilizado, propulsor de uma ação eficaz, operativa da Igreja junto aos irmãos e irmãs”. É por isso que, em palavras do jesuíta, desde a Rede CLAMOR, “queremos fazer eco de todo o esforço que o Papa Francisco está fazendo desde Roma, como gesto também simbólico, profético, prático, de envolver toda a Igreja. Não é tarefa de alguns, é missão de toda a Igreja olhar essa realidade, cuidar esses nossos irmãos”.

A Rede CLAMOR, ela é importante, afirma Rose Bertoldo, “porque além de articular as forças em nível do Brasil, também a gente fortalece essa articulação em rede a nível de América Latina e Caribe, uma vez que os grandes fluxos migratórios se dão entre esses países”. Nesse trabalho efetivo, a religiosa do Imaculado Coração de Maria destaca “o papel da CRB, com a representação da Rede um Grito pela Vida, mas também enquanto instituição CRB, e da CNBB, que também é uma parceira nesse trabalho junto com a Comissão de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas”. A irmã Rose, que foi auditora do Sínodo para a Amazônia e faz parte do Eixo Fronteiras da Rede Eclesial Pan-Amazônica – REPAM, insiste na importância que ela está tendo na articulação desse trabalho de combate ao tráfico de pessoas e acompanhamento de migrantes e refugiados em nível pan-amazônico.

A reunião te sido momento para concretizar “uma inquietação anterior, desde as três assembleias que já aconteceram no CELAM”, segundo o Padre Agnaldo Júnior, onde o Brasil tinha sido provocado a “buscar alternativas para podermos também consolidar essa rede no Brasil”. Ele insiste no consenso mostrado na reunião em que “há realmente necessidade, a importância de se criar um espaço como esse, articulador, que reforça a identidade, a ação da Igreja, num tema candente como é a migração forçada hoje no mundo”, uma realidade que hoje atinge ao dobro de pessoas que dez anos atrás.

Tanto a Irmã Rosita Milesi como o Padre Agnaldo Junior destacam a importância da CNBB ter assumido essa causa dos migrantes e refugiados. Nesse sentido, a religiosa scalabriniana, insiste em que “Dom Joel Amado Portela acolheu com grande zelo a proposta, expressou seu apoio e contribuiu com valiosas sugestões e encaminhamentos em favor desta iniciativa”, algo que o jesuíta reafirma, dizendo que “Dom Joel, secretário-geral da CNBB, extremamente animado com a proposta, e, de maneira muito prática, tentando dar espaço para o surgimento dessa nova rede, cujo objetivo não é digamos desarticular o que já existe, seja a Comissão Pastoral de Enfrentamento ao Tráfico, seja o Setor Mobilidade Humana, mas ela vem agregar um valor maior, que é particular todas as expressões da Igreja no campo da migração, do refúgio, de enfrentamento ao tráfico e nos ajudar a sentarmos na mesma mesa”.

Nessa importância do apoio institucional da CNBB, o jesuíta destaca “todo o esforço que já foi feito também desde a Conferência Nacional dos Bispos para poder se aproximar mais dessa realidade”. Uma visita que foi feita, ainda em 2018, na fronteira entre o Brasil e a Venezuela, e outra recentemente, esse ano, foi toda a nova presidência da Conferência dos Bispos do Brasil, visitando Boa Vista e Pacaraima, “para ver de perto a realidade e saber o que podemos fazer a mais do que já estamos fazendo, para poder transformar um pouco essa realidade e também amenizar tanto sofrimento que encontramos junto essas pessoas”.

Por isso, o Padre Agnaldo Júnior, insiste em que a criação da Rede CLAMOR no Brasil, vai “nos empoderar mais nas nossas ações, porque juntos somos mais fortes, e também para podermos pensar atividades comuns que possamos fazer não como organizações separadas, fragmentadas, senão como rede no Brasil, realmente, e dar visibilidade à ação da Igreja nessas áreas descritas anteriormente”.

domingo, 7 de junho de 2020

No Ceará, ação solidária socorre famílias em ocupação

                                                                                                                                                                Nesse período de pandemia, muita gente precisa de ajuda. E foi partindo dessa preocupação que um grupo de voluntários, aqui em Iguatu, Ceará, decidiu se juntar e pensar estratégias para amenizar a fome daquelas pessoas que se encontram em dificuldades, devido a situação de isolamento social, impedidas de trabalhar e, muitas, sem receber  receber o auxílio emergencial. Com a ajuda de parceiros de luta do Grande Bom Jardim, em Fortaleza, nós recebemos uma doação de 250 cestas básicas, além de ums um valor para a compra dos kits de higiene. Nesse primeiro momento decidimos atender o público das 4 ocupações da cidade e mais as famílias que sobrevivem do trabalho de reciclagem no lixão. Recebemos estas cestas no dia 14/05/20. Fizemos um mutirão com os voluntários para a higienização rigorosa para evitar qualquer contaminação.

É importante destacar o apoio de parceiros nessa campanha (foto acima), os quais tem nos ajudado direto ou indiretamente nessa missão. Um desses, é a conferência dos Religiosos do Brasil – Núcleo de Iguatu. Com participação de duas Irmãs e um irmão Marista.

Como Rede um Grito pela Vida, aqui na cidade, estou sozinha, mas tenho procurado atuar de alguma forma na defesa da vida junto aos necessitados e, nesse momento, estou contribuindo com essa campanha. Nos diversos núcleos da Região Nordeste as Irmãs atuam em campanhas como essa, na fabricação de máscaras, e outras atividades dentro de suas possibilidades, tendo em vista que a grande maioria se encontra no grupo de risco e não podem sair de casa e nem se expor ao vírus. 

Por aqui a campanha continua, por tempo indeterminado, porque quem tem fome tem pressa. A equipe fará um levantamento das famílias que se encontram mais vulneráveis na cidade e na zona rural para assim atender a esta necessidade básica. 

Se você pode e quer ajudar, junte-se a nós doando qualquer valor, nas contas disponibilizada ou para outras doações através do telefone.


É gratificante, em tempos de isolamento social, mesmo estando em casa, poder contribuir sendo solidária. Tempos difíceis, pois, requer cuidados redobrados para não colocar em riscos nem os voluntários e nem as famílias beneficiadas. Por isso, para toda e qualquer ação, uso obrigatório dos EPIs como:  máscaras, tocas, luvas, aventais e viseiras.

Assim sendo, o trabalho tem se realizado com sucesso através dos voluntários que vão diretamente as famílias e aqueles que não podem sair de casa, contribui como pode nessa articulação. 

Ir. Sirleide Cabral de Oliveira 
Referencial da Rede na Região Nordeste 
Iguatu, CE

Veja as fotosChegada e higienização



  
Cestas prontas para entrega


  

Entrega as famílias das ocupações








--
Rede Um Grito Pela Vida
Serviço de Comunicação | comunicargpv@gmail.com


Red Kawsay, da Argentina, celebra 10 anos de missão contra o tráfico de pessoas


Participamos da viva alegria da celebração de 10 anos da nossa rede-irmã, a Red Kawsay, que atua na prevenção e combate ao tráfico humano na Argentina. 


Na segunda-feira, às 18h, um evento virtual dá início ao tempo celebrativo de memória, gratidão e esperança de ser um sinal de alerta “em meio ao um mundo marcado por tantas formas de escravidão”.



Em sintonia com esse momento, as Irmãs Valmi Bohn e Ir. Rosa Helena Cipres Díaz, enviaram vídeo-mensagem à organização argentina.
Assista!


Saudação da Ir. Valmí Bohn
Saudação da Ir. Rosa Helena


--
Rede Um Grito Pela Vida
Serviço de Comunicação | comunicargpv@gmail.com


quinta-feira, 28 de maio de 2020

Live debateu os direitos das crianças e adolescentes nos tempos de pandemia



Você viu?

A Irmã Valmi Bohn, idp, integrante da coordenação nacional da Rede Um Grito Pela Vida, participou da live sobre os direitos das crianças e adolescentes: “Desafios e esperanças nos tempos atuais”. A transmissão foi realizada na terça-feira, 26 de maio, promovida pelo líder social Zaqueu Catarino.

Assista: