Pesquise neste blog

Mais notícias

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Contra o abuso e a exploração de crianças e adolescentes

Rede um Grito pela Vida em ação no Acre contra abuso e exploração de crianças e adolescentes.

GRUPO REDE UM GRITO PELA VIDA

No último dia 01/06/2019 no período da manhã as Irmãs Maria de Nazaré G. de Lima (Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora/Salesianas) e a Ir. Elizabeth Alves da Silva (Congregação das Irmãs da Divina Providencia), participaram  de uma manifestação realizada pela Defensoria Pública de Mato Grosso, com o Tema “EM DEFESA DELAS”: Defensoras e Defensores Públicos pela garantia dos Direitos das Mulheres. Na oportunidade realizaram parceria de trabalho em prol da Defesa das Mulheres.
 
 

A Rede Um Grito Pela Vida, através da Ir. Elizabeth Alves da Silva (Congregação das Irmãs da Divina Providencia), participou dia 03.06.2019 da Reunião Extraordinária do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso- CEPIR/M, para dialogar sobre o formato da ação e preposições sobre uma formação especifica para a promoção de igualdade racial na Adoção de crianças e Adolescentes.
Durante a reunião, a Ir. Elizabeth apresentou o grupo Rede Um grito pela vida-MT, sendo uma Rede Inter congregacional e Inter Institucional de enfrentamento ao tráfico de pessoas, e faz parte da Conferência dos/as Religiosos/as do Brasil-CRB e integra a Rede Internacional Talitha Kum. A Ir. Elizabeth, disse que neste exato momento ela estava participando da reunião para somar força e fortalecer a REDE GPV, com os demais seguimentos.

           

quinta-feira, 13 de junho de 2019

O tráfico de Pessoas no Contexto atual; demandas e desafios às Redes de Enfrentamento


 Entre os dias 17, 18 e 19 de maio de 2019, representantes da Rede um grito pela vida dos Estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, se reuniram em Cabedelo – PB para um encontro de formação com o seguinte tema: O tráfico de Pessoas no Contexto atual; demandas e desafios às Redes de Enfrentamento. Esse encontro teve como principal objetivo formar novos membros para a Rede, multiplicadores no combate ao tráfico humano.
Nossos momentos formativos são sempre resultado do empenho e colaboração de muitas mãos. Agradecemos todas as parcerias estabelecidas em favor da vida e da dignidade da pessoa Humana.





Algumas participações

A Rede Um Grito pela Vida, tem estado...
  

Participação da Rede um Grito Pela Vida no Encontro Nacional da Rede Brasileira de Justiça e Paz- CBJP/ JPIC


Rede Um Grito Pela Vida fazendo panfletagem no Acre em comemoração  ao dia  8 de março .


Encontro do Núcleo  da CRB Garanhuns - PE. Tráfico de pessoas foi o tema refletido.


Rede Um Grito Pela Vida na luta por moradia em Recife.

Encontro inter-regional da Rede Um Grito pela Vida 03 a 05 de maio de 2019 – Curitiba/PR


O encontro inter-regional da Rede Um Grito pela Vida que compreende os Núcleos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul aconteceu na Casa de acolhida das Irmãs da Divina Providência, com o Tema: Políticas Públicas e Direitos Humanos. Este teve como objetivo o estudo e aprofundamento de temas importantes e relevantes à ação dos núcleos. Participaram deste, 14 irmãs de várias Congregações, 3 padres religiosos, 3 formandas e 3 leigas atuantes na Pastoral dos migrantes, caritás e JOCUM (jovens missionários evangélicos), um leigo, candidato ao diaconato permanente e a alegre presença de Ir. Maria Luiza da CRB Nacional trazendo a mensagem e a comunhão de Ir. Maria Inês, nossa presidente. O encontro iniciou com a janta as 18h e com as boas vindas por parte Coordenação do núcleo do Paraná. Já na sala do encontro cada uma foi convidada/o a ser apresentar dizendo o nome, grupo ou congregação a que pertence e estado. Em seguida, fomos convidados pelo núcleo de Santa Catarina à oração: Somos chamadas/os a ser Pão que ativa e sustenta a vida, baseada em Jo 6, 35-40. Após reflexão, o grupo foi convidado a expressar de que tem fome, e assim se expressou: justiça, igualdade, organização, unidade, dignidade ao ser humano, respeito a vida, de fortalecer a esperança, força, renovação, espiritualidade, encontro com o outro, cuidar da vida das mulheres, solidariedade e sensibilidade, de políticas públicas. Concluindo este momento enriquecedor, fomos para os grupos de partilha. Éramos 4 grupos que partilhamos os avanços e desafios dentro do trabalho de prevenção nos vários contextos onde atuamos. Constatamos que o trabalho de prevenção ele acontece com mais ou menos incidência nos três estados. O Núcleo do Paraná é o que está mais bem integrado com órgãos públicos, ONGs e grupos afins na realização de ações concretas na prevenção e encaminhamentos de casos. Também, notou-se a grande participação dos leigos comprometidos com a causa da vida e sua proteção.  Para finalizar esta primeira noite, rezamos a nossa Mãe Maria pedindo que nos acompanhe sempre.
No dia 04 iniciamos com o café as 7h30, após, tivemos um momento de animação com as formandas Salvatorianas. Quem nos ajudou no momento orante foi o núcleo de Porto Alegre, que após a proclamação do Evangelho de São João 21, 1-19, nos pediu para que escrevêssemos nossos medos. O grupo assim se expressou: violência, de não aprovar projetos que gerem vida, falta de a amor, medo de não perceber a intensidade do momento e não conseguir reagir como devia, de se acomodar e outros tantos.  Irmã Bernadete disse que cada um tem uma missão e que não podemos desanimar frente os medos, Jesus rema conosco, que apesar da noite escura Jesus está sempre conosco, dando força e segurança. Após a oração, Dra. Silvia Cristina Xavier E Drª Carla do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do estado do PR nos apresentou como está a política de combate ao Tráfico Humano. Ela enfatizou os cinco anos do NETP/PR e a ajuda valiosa da Rede que muito tem contribuído neste trabalho, disse ainda da gratidão à Rede.  Explicou brevemente sobre como está a nova estruturação no núcleo de enfrentamento, falou da nova gestão, do secretário Drº Felipe Haysashi. Falou que foi reativado o posto avançado em Foz do Iguaçu, pois é um lugar que acontece muito tráfico de pessoas. Recordou que este crime é o primeiro mais lucrativo no mundo. E isto é uma das maiores violências contra o ser humano. Retornando à Foz, disse que 60 a 80% do tráfico de bebês e crianças acontece ai. Falou com certa preocupação que é necessário conscientizar as autoridades, especialmente neste local. É necessário assegurar políticas públicas alicerçadas na justiça e na dignidade para todos. E ela tem que ser bem alicerçada, porque nós passamos, mas elas tem que garantir a vida para todos. Falou com alegria do termo de cooperação técnica para a Rede em Curitiba. Uma conquista! Contou-nos que uma professora quer dar aulas para os novos magistrados sobre o tema do Tráfico de pessoas, uma forma de envolver mais gente pra lidar no combate. Agradeceu novamente a parceria com a Rede e deixou o contato do Núcleo/PR ( ) 3210-2890 email: nucleoetp@seju.pr.gov.br
Após o intervalo, foi acolhida a Dra Goreti Bussolo da ONG ”Todas Marias”, com o tema: A valorização do papel da mulher na sociedade em vista da superação do machismo e da violência doméstica. Ela iniciou partilhando da sua própria história de vida, seus sofrimentos e superações. Falou da ONG, do porquê ”Todas Marias”, porque somos todas Marias, Maria Goretti, Maria da Penha, Maria Madalena... Disse que tem leucemia e que foi por causa das magoas que ficou em seu corpo e seu coração. Leucemia e câncer de mama são as duas doenças que mais atinge mulheres que sofreram algum tipo de violência. E que a ONG atende muitas mulheres vítimas deste mal, procura ouvi-las e encaminha-las para os tratamentos e outras ajudas. E que a ajuda causa mais efeito se atinge a família toda, especialmente o homem. Também partilhou conosco que seu filho escreveu 74 vezes ao Papa Francisco e um dos temas que trata na carta é: Por que as mães não são acreditadas? Por que as crianças não são acreditadas? Espera poder encontrar o Papa pessoalmente para fala-lhe. Goretti disse que um dos principais meios que se utiliza para falar do tema é a Poesia, isso tem ajudado muito. Disse também, que o que impede a mulher denunciar a violência é: o medo, a vergonha, a dependência financeira, a não garantia de política públicas que garantam a segurança e atenção. E que a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. O que ela diz para a mulher que está vivendo esta situação: “Levanta e sai daí!”. Precisamos combater o machismo, ele é institucional. Agradeceu a oportunidade e deixou seus contatos. Após ouvir a profunda e comovente partilha, fomos para o almoço. A tarde nos preparamos para ouvir a jovem Natalia da JOCUM (Jovens com uma missão), maior organização de jovens evangélicos de várias denominações que se unem para evangelizar e lutar pela valorização da vida. Ela disse que foram movidos para trabalhar contra o tráfico de pessoas através do versículo da Bíblia (Provérbios 31, 8-9). Depois, passou um vídeo mostrando os trabalhos e mobilizações que a organização realiza para a sensibilização desta causa. Passou um vídeo com histórias e depoimento de pessoas que sofreram com o trabalho escravo. Na sequência de partilhas ouvimos Pe. Gustot Lucien missionário haitiano da congregação dos Padres Scalabrinianos que trabalha com a Pastoral dos migrantes. Contou-nos que fazem vários atendimentos, acolhendo e fazendo os encaminhamentos necessários a estes imigrantes. Contou-nos que deste a fundação trabalham com estes nossos irmãos imigrantes e o versículo motivador deste trabalho é Mt 25, 35 – Eu era migrante e tu me acolhestes. Jesus gritou no grito das pessoas que se encontram nesta situação. Neste sentido a Pastoral é um grande apoio e auxilio.  Em seguida foi feito um bate papo com os participantes, roda de conversa. Os participantes perguntaram acerca do voluntariado na JOCUM, como é feito. Natália respondeu que é feito contrato. Também foi falado do 3º Plano de Enfrentamento do governo que tem que sair do papel. A preocupação primeira é conhecermos as Leis para ajudar nos encaminhamentos, respondeu Drª Silvia. Disse também, que o que é feito por decreto se desfaz por decreto. Esta é a fragilidade da sociedade civil, não perceber a tempo para agir. Precisamos fortalecer as Leis.  Ainda na roda de conversa, a representante da Caritas disse que junto com a Rede iniciou o Seminário da Tríplice Fronteira – espera e cobra para que não se torne só um evento de debate e da não efetivação, mas que avance no concreto da vida e ajude as vítimas do tráfico, da migração a ter mais vida. É um grande desafio. A PRF está ajudando a mapear as rotas de tráfico. Disse também, que a Caritas tem 11 parceiros e todos os postos atendem os migrantes. Após a rica, profunda e esclarecedora roda de conversa Pe. Claudio que participa da Rede em Curitiba e é membro da Coordenação Nacional da Rede agradeceu os colaboradores e fez os informes: Falou da Assembleia que acontecerá em outubro nos dias 18 a 20. Falou da alegria de estarmos presente em quase todas os estados exceto no Rio de Janeiro e Espírito Santo. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul pediram ajuda à CRB nacional para se reorganizar. Disse também, que a CF está ajudando na reflexão das Políticas Públicas. A participante Elisete partilhou sobre o encontro convocado pela CNBB ocorrido em novembro de 2018 sobre a Comissão Epsicopal Pastoral Especial de Enfrentamento ao Tráfico Humano (CNBB/CEPEETH). Dentre outros, apresentou o objetivo desta comissão: fortalecer a atuação de enfrentamento ao tráfico humano em suas múltiplas formas, e a atenção às pessoas em situação de vulnerabilidade e de tráfico, contribuindo para transformar as estruturas e as práticas que alimentam a existência dessa chaga social. Neste encontro também, foram nomeadas as pessoas para assumirem a coordenação desta comissão no ano de 2019, tendo como missão à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja, ser presença viva e profética no enfrentamento ao tráfico humano, como violação da dignidade e da liberdade, defendendo a vida dos filhos e filhas de Deus, pois terá mais força na Igreja e na sociedade. Reforçou o convite para participarmos da semana do migrante que será de 16 a 23 de junho com o tema: Migração e políticas públicas e o lema: Acolher, proteger, promover, integrar e celebrar. A luta é todo dia. Na sequência a participante Rosilei, conselheira tutelar partilhou com o grupo que além do trabalho no conselho, procurar estar presente nos movimentos. Por onde anda sempre leva o nome da Rede. Cuida da família e não somente da criança, do jovem, pois o sofrimento deles é o sofrimento da família. Disse que é preciso ter cuidado no atendimento das pessoas, sabendo encaminhar o processo. O trabalho é realizado com atenção a esta temática do Tráfico de pessoas. Seguindo a apresentação ouvimos a Polícia Rodoviária Federal (PRF) que é uma parceira no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes no Paraná representada por Pedro carneiro presidente da Comissão Regional de Direitos Humanos da PRF, que nos falou sobre as principais ações: Projeto Mapear, Projeto Domiduca e as Operações integradas. Em 2017 foram mapeado 2.487 pontos em todo o Brasil e 489 pontos críticos. Com o Projeto Domiduca realizaram resgate de 121 crianças e adolescentes em 2017. Pedro disse que quando se previne, protegemos, cuidamos da vida e se impede que mais pessoas caiam na armadilha. Quando se combate se prende a última ponta da rota do tráfico. A incidência da exploração sexual de menores se dá em postos de gasolina. O Paraná foi o estado que mais mapeou pontos. Com o Projeto Mapear busca-se combater e prevenir, melhorar ação. Por exemplo: transferir a metodologia para a Polícia estadual; tornar o local de parada de motoristas mais seguros; empoderar os poderes públicos; manter a efetividade das ações. Com as Operações Integradas fazemos parcerias com a SEJUF, DPU,MPT,MPF,PM E outros órgãos. Pedro deixou seu contato: Pedro.carrneiro@pfr.gov.br fone 99197-6934. Por fim, agradeceu e se colocou a disposição para outras ações de prevenção em parceria. Finalizamos nosso sábado rezando a oração ao Espírito Santo e a Maria e em seguida participamos da missa na Paróquia de Santo Agostinho. Na celebração tivemos um espaço para falar da nossa missão na Rede Um Grito Pela Vida. Quem nos representou foi Pe. Mário. A noite com a janta tivemos um momento de confraternização. No dia 05 após a missa, nos reunimos na sala para a última assessoria. Quem nos assessorou foi Drª Heloísa Cândida da Silva com o tema: A Psicologia a serviço das vítimas da violência doméstica e do tráfico de pessoas – CURAR ALMAS E RESGATAR VIDAS. Ela atua na Paróquia Nossa Senhora da Cabeça na pastoral da escuta. Ela nos disse que em 2018, 536 mulheres foram agredidas fisicamente por hora no Brasil. Um dado perturbador, uma rotina que além das marcas físicas, deixa cicatrizes emocionais que acompanham as vítimas por toda a vida. O resgate é muito difícil. A dor da alma é grande. A Rede do bem tem que está bem entrelaçada para ajudar. A agressão começa no namoro quando se proíbe, se tem ciúme, e tudo isso é muito sútil. As vezes a vítima fica numa dependência emocional com o agressor. Temos que assumir nossas fragilidades e nossas fortalezas. Acolher as pessoas sofredoras e escutá-las, pois o impacto emocional é profundo e sofrido: Quebra da autoestima, depressão, síndrome do pânico, isolamento social, ego fragilizado, sentimento de impotência, desesperança, vergonha, humilhação, choque, negação ou descrença, crise existencial, tentativa de suicídio. Tudo isso é uma realidade muito triste. Vivenciamos muitas perdas, por isso, é importante nos cuidar, ter uma reserva dentro de nós. Como nós fazemos a abordagem psicossocial: acolhimento e empatia. Trabalhamos através da escuta e orientação. O papel do psicólogo é fundamental para conscientizar, fortalecer e resgatar a capacidade das vítimas novamente. Auxilia no caminho à superação, contribuindo para o fortalecimento e resgate da autoestima, autonomia. Que se sintam compreendidas, mostrando que podem assim, assumir o papel de protagonistas tanto na vida pessoal quanto social. Agradeceu aos participantes e desejou fortalecimento e cuidado na missão da Rede.
Pe. Mario e Ir. Marfiza fizeram os agradecimentos às Regionais, agradeceram as Irmãs da casa (Irmãs da Divina Providência) pela acolhida e desconto na hospedagem. Agradeceram às jovens postulantes IDP pela animação no sábado e os jovens da Paróquia Nossa Senhora da Cabeça pela animação da missa no domingo.
Para o próximo encontro inter-regional da Rede (RS, SC e PR) 2021, ficou indicado Florianópolis para o início do mês de maio.


Nomes das participantes
Irma Ortencia de Floripa salvatoriana
Irma Maria Helena Porto Alegre Divina Providencia
Irma Maria Bernadete Porto Alegre Imaculado Coração de Maria
Irmã Salete de Floripa Salvatoriana
Irma Eudineia Costa Chapeco Irmãs de Nossa Senhora Menina
Irmã Maria Luiza CRB Sagrada Familia
Padre Gustot Lucien –Curitiba- Carlista Scalabriano
Irma Enedina –União da Vitoria –Irmas Franciscana da Sagrada Familia.
Irma Terezinha- União da Vitoria,Divina Providencia
Patrícia Santana-União da Vitoria- Salvatoriana
Luana Costa – União da Vitoria- Salvatoriana
Tâmara Nunes- União da Vitoria- Salvatoriana
Irma Clauida –Curitiba- Salvatoriana
Irma Maria Aroni- Flrianopolis- Catequistas Franciscanas
Irma Irene Lorenzetti- Floripa-Instituto Cor.de Jesus
Elizete –Curitiba- CNBB
Irma Ilva  Maria- Videria- Salvatoriana
Irma Bernadete- Curitiba- Catequista Franciscana
Natalia Vasconcelos Curitiba-Jocum Curitiba
Padre Claudio- Curitiba- Sacalabriniano
Irma Marfiza- Curitiba- Irmãs da Divina Providencia
Frei Luiz Carlos- Curitiba- Agostiniano