Mais notícias

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

BASTA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL E TRÁFICO DE MULHERES E CRIANÇAS

No dia 23 de setembro, Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças, a Rede Um grito pela Vida- Núcleo da Conferência de Religiosas/os de Brasil (CRB SP) articulou e realizou uma ação pública na Praça Floriano Peixoto (Santo Amaro – SP), em parceria com a Unidade Antonia - Projeto do Instituto das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, Centro de Cidadania da Mulher (CCM) - Santo Amaro, Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) - Santo Amaro e  a Pastoral da Mulher Marginalizada(PMM), também de São Paulo.


   


Essa data foi escolhida pelos países participantes da Conferência Mundial da Coligação contra o Tráfico de Mulheres, que aconteceu em Dhâka, Bangladesh em setembro de 1999, 86 anos depois da Lei “Palácios” – que promulgara a Argentina no ano 1913, sendo a primeira Lei que pune o tráfico para exploração sexual de mulheres e crianças.

O objetivo dessa ação visou sensibilizar e divulgar a realidade do tráfico humano, para exploração sexual de mulheres e crianças, na data criada internacionalmente, para o enfrentamento desta modalidade de tráfico de pessoas. E assim tentar pôr um freio, um BASTA! a este crime organizado transnacional, que cresce vertiginosamente, sobretudo, nas últimos décadas.

Nesse sentido vale salientar que, para a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é um dos países campeões do mundo, quanto ao tráfico de pessoas, sobretudo, mulheres, crianças e adolescentes para exploração sexual. Estima-se que 700.000 mulheres e crianças passam pelas fronteiras do tráfico humano. É o país responsável pelos 15% das pessoas exportadas de América Latina para Europa.
Para atingir o objetivo da sensibilização e dar conhecimento da existência desta data, as pessoas das entidades participantes fizeram uma enquete a população que perambula na Praça Floriano Peixoto e suas redondezas, assim como a realização de uma panfletagem com materiais informativos das diferentes entidades voltadas para o enfrentamento e atendimento das pessoas em situação de tráfico de pessoas em São Paulo. As representantes de ditas entidades, foram em total 18, e abordaram aproximadamente 400 pessoas durante as duas horas e 30 minutos que durou essa acão.

 
Avalia-se que o ato alcançou seu e objetivo de maneira contundente, pela da contribuição qualificada das instituições participantes e pela receptividade das pessoas abordadas.

E, sobretudo, porque existem instituições e pessoas que tem a ousadia de acreditar que, é possível uma sociedade mais justa, mais igualitária, sem tráfico para a exploração sexual de mulheres e crianças particularmente. E que se pode colocar um BASTA! nesta sociedade mercantilista e de consumidores/as, para que NUNCA MAIS! existam seres humanos transformados em mercadoria.

E tudo isso em sintonia com o lema norteador das ações da Rede um Grito pela Vida: “ENFRENTAR O TRÁFICO DE PESSOAS É NOSSO COMPROMISSO”.


Ir. Manuela Rodríguez Piñeres- OSR, referente da Rede Um Grito Pela Vida no núcleo de São Paulo e membro do Projeto Antonia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário