Mais notícias

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Testemunho: a Vida Religiosa Consagrada em ação contra o tráfico de pessoas





























































































Por Roselei Bertoldo *
 
13 / Out / 2014 08:19

A “Rede Um Grito pela Vida” é um espaço de articulação e ação contra o tráfico de pessoas. Constituída por aproximadamente 150 religiosos e religiosas de diversos Regionais e Congregações, desde 2006 é parte constitutiva da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) Nacional. Atua nas diversas localidades, estados e municípios do Brasil, e integra a “Talitha Kum - Rede Internacional da Vida Religiosa Consagrada contra o Tráfico de Pessoas”.
Na CRB Regional Manaus - Roraima, a “Rede Um Grito pela Vida” é constituída por nove irmãs de sete congregações, lideranças comunitárias e de pastoral, Cáritas Arquidiocesana de Manaus e Equipe Itinerante da CRB. O grupo se reúne semanalmente para estudos e aprofundamentos da temática do tráfico de pessoas na Região, faz planejamentos e articula-se para executar ações preventivas de enfrentamento.

A experiência missionária da Rede é como aquela das parteiras do Egito (Ex 1, 15-17). Elas usam uma estratégia que, no silêncio e nas relações corpo-a-corpo, defendem e promovem a vida. Nossas ações concretas visam, principalmente, sensibilizar as pessoas sobre a temática do tráfico, dando visibilidade a este crime na região amazônica.
Nos encontros de sensibilização e formação, as vítimas passam falar a reconhecer a violência sofrida. É o caso da jovem M., do município de Iranduba, que relatou ter sido abusada sexualmente na infância e explorada sexualmente na adolescência. Pela rede de aliciamento para tráfico interno de pessoas e exploração sexual, M. foi explorada por 10 anos em Manaus e Manacapuru, antes de conseguir sair do esquema da exploração, que cerceou sua juventude. Hoje M. carrega um fardo pesado demais, uma tortura que continua: “nunca vou me livrar destas feridas profundas, que me ferem até hoje”.
Outras jovens, adultas e idosas encontradas durante quatro anos de atuação da “Rede Um Grito pela Vida”, em Manaus, relatam histórias de vida marcadas pela exploração. A grande maioria, como a história de M., tem seu começo no círculo familiar e em sua comunidade de origem, e continua com a exploração sexual e laboral em outros estados, até em outros países como as Guianas, a Venezuela e o Suriname.
O que mantém viva nossa espiritualidade missionária e a relação com Deus é o compromisso na construção de redes de proteção, no encontro e na solidariedade com todas as pessoas que são feridas em sua dignidade. A paixão pelo Reino de Deus passa pela paixão pela vida, pelos corpos feridos, imagem e semelhança de Jesus Cristo, colocadas em nosso caminho. Nosso grito é pela vida!
* Irmã Roselei Bertoldo, ICM, articuladora da “Rede Um Grito pela Vida”, Regional da CRB Manaus e Roraima. (Publicado no Livrinho da Novena Missionária 2014, p. 16 - 17).
Fonte: http://www.pom.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3515%3Atestemunho-a-vida-religiosa-consagrada-em-acao-contra-o-trafico-de-pessoas&catid=60%3Atestemunhos&Itemid=88

Nenhum comentário:

Postar um comentário