Mais notícias

sábado, 22 de julho de 2017

Os passos de nossa missão revelam muitos gritos pela vida - Visita a Oiapoque visa prevenção e enfrentamento ao tráfico de pessoas e exploração sexual

15/07/2017


Visita à comunidade Vila Vitória

As referenciais da Rede Um Grito Pela Vida dividiram-se em duas equipes, facilitando a visita em diversas famílias da comunidade Vila Vitória.

Visitaram também a São Jorge, que pertence à Guiana Francesa e fica às margens do rio #Oiapoque, do outro lado. Ao chegar à comunidade é visível o contraste. As casas das famílias brasileiras são pequenas, muitas ainda de tábuas, e por outro lado existe um número imenso de casas construídas pelos franceses e que se destacam por serem casas grandes geralmente de dois andares. A vila não tem saneamento básico, ruas e nem calçadas. As famílias relataram muitas situações de abuso sexual e estupros. Encontramos situações de famílias com filhas e filhos desaparecidos e muita pobreza. Muitas famílias que viviam há anos na Guiana Francesa estão voltando para morar no #Brasil, pois não conseguem mais viver por causa do custo de vida.

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre, água e natureza
Ainda em #Oiapoque, a Rede promoveu oficina com mulheres em uma comunidade indígena.
Foi trabalhado o tema da violência com lideranças de algumas aldeias indígenas na aldeia do Manga. Mais de 25 mulheres, algumas caciques e outras lideranças de grupos de mulheres e estudantes. No tema da violência foi dada ênfase ao abuso, exploração sexual e o tráfico de pessoas. Muitas histórias de vida... Há uma grande preocupação das mulheres em proteger as aldeias para que as pessoas não caiam nesses crimes.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas em pé

A imagem pode conter: 18 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas


#Denúncia 


Na viagem de Macapá a Oiapoque as referenciais da #RedeUmGritoPelaVida (Região Norte) experimentaram, na estrada, as dificuldades do povo. Uma viagem que geralmente se faz em 8 horas foi feita em 28 horas, devido às péssimas condições da única BR 156 que liga as duas cidades. Um descaso imenso dos poderes públicos que não se comprometem, apesar de a cada ano eleitoral assumirem o compromisso de asfaltarem a estrada. Quando as autoridades desejam chegar à cidade fretam, com dinheiro público, pequenos aviões. 


A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, céu, árvore, grama, atividades ao ar livre e natureza



Nenhum comentário:

Postar um comentário