Pesquise neste blog

Mais notícias

terça-feira, 30 de julho de 2019

Tráfico de Pessoas: um crime que fere a dignidade do ser humano



O tráfico de pessoas é um dos crimes mais hediondos da atualidade. Dia 30 de julho, Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, instituído pela Assembleia Geral da ONU – proposta para aprofundar a reflexão e intensificar a ação no enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, retomemos a afirmação do Papa Francisco, ao dirigir-se à Conferência Internacional de Juízes e Magistrados contra o Tráfico de Pessoas e o crime organizado. Na ocasião, Francisco sublinhou que o tráfico de pessoas, o contrabando de migrantes e outras novas formas de escravidão, tais como o trabalho escravo, a exploração sexual, o tráfico de órgãos, o comércio da droga e a criminalidade organizada, são crimes de lesa humanidade que devem ser reconhecidos como tais por todos os líderes políticos, religiosos e sociais e previstos nas legislações nacionais e internacionais (Rádio Vaticano, 3jun2016).
A crescente consciência de direito a dignidade de cada ser humano contrasta com uma realidade em que milhares de pessoas são mercantilizadas e escravizadas mediante falsas promessas, enganos, dívidas e outras formas de chantagens. Por causa disso, governos, organizações internacionais e a sociedade civil pautam a luta contra o tráfico de pessoas como uma das prioridades na defesa dos diretos humanos, em nível nacional e internacional. Ninguém pode se eximir da responsabilidade de identificar, denunciar e combater este mal que corrói a sociedade e que degrada vergonhosamente a conduta humana e a sociedade.
“Apelamos à consciência de uma humanidade que busque em Deus um motivo de esperança, e na misericórdia de Deus também a possibilidade de constituir redes e perdão, porque há também que considerar isto: há vítimas e há agentes criminosos e é preciso alcançar a reconciliação entre todos. Unida ao Papa Francisco, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, roga a Maria, Mãe da Misericórdia, que ilumine a todos aqueles e aquelas que nos escutam e que nos ajude a realizar redes de libertam”. Palavras do Papa Francisco.
Em comunhão com todas as Redes na defesa da vida e das vulnerabilidades de mulheres e crianças traficadas, a Rede Um Grito pela Vida reitera neste dia 30 de julho, o seu compromisso no enfrentamento desta realidade criminosa que ceifa a vida e os sonhos de milhares de pessoas em todo o planeta.
                                                                      


Nenhum comentário:

Postar um comentário