Mais notícias

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Nota pública de repúdio à decisão do TJ/SP que considerou uma menina de 13 anos prostituta e inocentou o acusado de estupro

Publicado em 18/07/2014


A Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente – ANCED/Seção DCI Brasil, o Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, o ECPAT Brasil, o Fórum Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – Fórum Nacional DCA e o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil – FNPETI vêm a público tecer as seguintes considerações sobre a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que considerou menina de 13 anos prostituta e inocentou acusado de estupro:

· Direitos Sexuais são direitos humanos e toda criança e adolescente tem direito a um desenvolvimento sexual saudável e livre de qualquer forma de violência ou discriminação;
· A prática sexual com adolescentes mediante pagamento ou outra forma de retribuição constitui o delito de exploração sexual, nos termos do Código Penal e do Estatuto da Criança e do Adolescente. Ademais, a legislação brasileira tratou a prática sexual com pessoas com menos de 14 anos como estupro de vulnerável;
· A decisão mostra todo o preconceito de setores do Judiciário brasileiro que considera que o mercado do sexo cria meninas e mulheres de segunda categoria, com menos direitos;
· Os desembargadores relativizaram a violência praticada contra adolescentes, desconsiderando seus direitos sexuais e sua condição de pessoa em processo de desenvolvimento.

 Assim, as Redes manifestam seu repúdio à decisão tomada em 16 de junho de 2014 pelo TJ/SP e exigem das demais autoridades do Sistema de Justiça a utilização dos mecanismos recursais adequados para reversão desse vergonhoso acórdão.
Brasília/DF, 16 de julho de 2014.


Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente – ANCED/Seção DCI Brasil

Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes

ECPAT Brasil


Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil - FNPETI

Nenhum comentário:

Postar um comentário