Mais notícias

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

1º de janeiro 2015 - Dia mundial da Paz

“JÁ NÃO MAIS ESCRAVOS, MAS IRMÃOS”

               O Papa Francisco continua firme no seu compromisso com os irmãos e irmãs em situação de tráfico humano e/ou em outras situações de escravidão e violações de direitos. Solidariza-se com todos e todas aqueles/as que caminham, ainda nas trevas, em busca de liberdade. A confirmação desse compromisso ele expressa mais uma vez, no tema para o dia mundial da paz do ano 2015: “Não mais escravos mais irmãos.”             
            Na mensagem dedicada a este dia, o Papa Francisco afirma que a exploração de uma pessoa sobre a outra, constitui uma pratica abominável, violadora dos direitos fundamentais do ser humano, sua liberdade, dignidade e autonomia. Causa das relações  assimétricas e desiguais presentes em nossas sociedades que se dizem amplamente civilizadas, mas convivem com alarmantes desigualdades econômicas, sociais  e culturais.  
           Em 2014 sua mensagem para o dia mundial da paz foi uma eloquente denuncia as desigualdades e injustiças sociais, salientando o drama da fome no mundo, como um escândalo que desafia a todos nós á pratica da partilha e da justiça social e ambiental. Para 2015, sua ênfase é para as situações de escravidão contemporânea: “os trabalhadores sem tutela, os migrantes submetidos a privações e vexações, pessoas obrigadas a prostituirem-se como escravas e escravos sexuais, crianças, adolescentes e adultos vítimas do  tráfico humano e de órgãos, vítimas dos grupos terroristas...”
          As palavras do Papa Francisco coloca em evidencia que tanto o escândalo da fome, como as diversas praticas de escravidão contemporânea é fruto da avareza e ganancia do ser humano, que no desejo desenfreado de possuir, enriquecer-se e dominar, destroem as relações de irmandade e fraternidade e criam relações entre “senhores e escravos/as” muito distantes da pregação e da prática de Jesus: “Eu não vos chamo servos mas de amigos/as. (cj Jo 15,15)
            “Não mais escravos mais irmãos” é uma convocação, que nos impele a romper a indiferença e redobrar nossos esforços em prol de uma sociedade sem tráfico de pessoas, sem qualquer forma de exploração e escravidão. A refazer a aliança com o Projeto Criador de Deus, no qual as relações de cuidado com a vida do outro, da outra, de sororidade e fraternidade sejam pautadas no amor, na valorização, no respeito às diferenças e na superação de toda forma de dominação que escraviza e explora.
           Esta missão requer de todos/as nós abertura e conversão. Mudanças consistentes no pensar e agir. Mudanças, cujo primeiro passo é reconhecer, como nos lembra Ivone Gebara “ Somos todos livres e escravos ao mesmo tempo”. Sendo assim o ponto de partida para uma sociedade de relações de irmãos e irmãs, está na nossa capacidade pessoal de mudarmos nossos olhares e nossas visões e atitudes em relação nós mesmas,  ao outro, à outra. Na nossa disposição pessoal e social de mesmo no reconhecimento de nossa  precária libertação aguçar nossa sensibilidade e nosso senso de justiça, de amor ao próximo que sofre, alimentando a utopia do magnificat: ‘Virá o dia em que todos ao levantar a vista veremos nesta terra brilhar a liberdade.”
           A partir deste ponto de partida, ou seja, tendo nossa sensibilidade aguçada e nossa mente aberta para amar e  acolher o outro, a  outra como irmão e irmã, sujeito de direito e dignidade humana e divina , cabe-nos alargar nosso compromisso  contra todas as formas de escravidão, somando com todos as pessoas, grupos e organizações que no micro ou  macro espaço atuam no enfrentamento destas realidades que configuram a chamada  “escravidão moderna” e buscam construir a globalização da solidariedade e da paz. 
           Nesta perspectiva o dia mundial da paz, a ser celebrado no dia 1º de janeiro de 2015, com o tema “não mais escravos mais irmãos” constitui para nós integrantes e/ou parceiros/as, apoiadores/as da Rede um Grito pela Vida, uma singular oportunidade para reafirmarmos nosso Compromisso de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Para fortalecer nossa mística e sonho de um mundo de paz e liberdade para todos/as.  Para isso, propomos a todos os núcleos a realização de um momento de oração pela paz e pelo fim do trafico de pessoas bem como, a leitura, reflexão e divulgação em todos os meios e espaços possíveis da mensagem do Papa Francisco para este dia. (mensagem em anexo) Ela é portadora de um riquíssimo conteúdo e de um teor místico-profético que com certeza contribuirá de forma fecunda para a cultura da paz e da solidariedade que tanto almejamos.

            Vamos lá, é como diz a canção da paz do grupo Roupa Nova:
“Se você começar

outros vão te acompanhar

e cantar com harmonia e esperança

Deixe, que esse canto

lave o pranto do mundo

prá trazer perdão

e dividir o pão.

Só o amor, muda o que já se fez

E a força da paz junta todos outra vez

Venha, já é hora de acender a chama da vida

E fazer a Terra inteira feliz”

Ir. Manuela Rodríguez Piñeres (OSR) e Ir. Eurides Alves de oliveira (ICM) 
Rede Um Grito pela Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário