Mais notícias

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Região Norte do Brasil realiza o I Encontro Internacional de Formação.

Encontro Internacional de Formação - 04 a 08.03.2015
O GRITO PELA VIDA QUE VEM DA AMAZÔNIA 
 NÃO AO TRÁFICO DE PESSOA

OBJETIVO

Fortalecer a atuação em rede, capacitar e formar lideranças para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, desenvolvendo práticas pedagógicas e construindo propostas de políticas públicas para a prevenção do tráfico na Amazônia.


PROGRAMAÇÃO


DIA 3 de março
Chegada, acolhida e credenciamento.

DIA 4 de março
Coordenação: Rede Núcleo Manaus. (Sandra Loyo e Nilda Nair)
·         07h. Café da manhã.
·         08h.  Mística de abertura e apresentação. Circularidade da mandala. (Rede - Manaus).
·         Fala de abertura. Dom Mário Antônio, Pe. Cleverton Márcio Araújo da Silva, Coordenador da CRB Regional Amazonas/Roriama, Ir. Roselei Bertoldo, Articuladora da Rede Um Grito Pela Vida, Amazonas/Roraima,  Ir. Eurides Alves de Oliveira, Coordenadora Nacional da Rede Um Grito Pela Vida. Ir. Gabriela Botani, Rede Internacional Talita Kun.
·         Teatro –  Cia. de Dança Arte Sem Fronteiras. Wilson
·         10h. Apresentação (10 minutos) para cada estado: trazer elementos da realidade de tráfico de pessoas destacando 3 desafios a serem partilhado (Estado do Brasil – Amazonas, Pará, Rondônia, Acre, Roraima, Amapá, Tocantins, Maranhão. Países: Perú, Colômbia, Suriname, Guiana Inglesa, Guiana Francesa e Venezuela, CPT Nacional, Fei Xavier Plassat,  Comissão Justiça e Paz, Ir. Henriqueta.
·         12:30h almoço.
·         14:30h Análise de conjuntura atual da Amazônia legal (destacando a questão econômica, sociopolítica e gênero) - (Prof. Doutora Márcia Maria de Oliveira)
·         16h Intervalo
·         16:30h Dimensão econômica na fronteira amazônica. (Maria Madalena Ferreira)
·         17:40h Por proximidade ressonâncias, 3 pontos para os grupos colocarem na rede
·         18:00h socialização das ressonâncias - Eurides ajudará o grupa a tecer os fios...
·         18:30h  jantar
·         20h Partilha das experiências significativas dos países. (Peru, Suriname)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 5 de março

Coordenação Ir. Gabriela  e Núcleo de Porto Velho.
·         06:30h café da manhã
·         07:30h mística (Belém, Suriname)
·         08h Dinâmica: Construção do Mapa das rotas do tráfico de pessoas. Sobre o mapa serão colocados marcadores (Setas) para escrever para onde são levadas as pessoas traficadas (origem e destino) construindo as rotas. (Chamas) para identificar pontos de exploração sexual, (por exemplo – garimpos, portos, etc..) em cada região.
·         08:30h Leitura do tráfico de pessoas na Amazônia, suas forças estruturantes, suas dinâmicas concretas, quanto da política nacional de enfrentamento e a importante discussão conceitual. (Marcel Hazeu – ONG Só Direitos - Belém)
·         10:30h Intervalo para o lanche
·         10:45h continuidade.
·         11:30h cochicho por proximidade e ressonâncias. O que queremos que não se perca na caminhada - memória. (Destacar um elemento em cada grupo para tecer a rede).
·         12:30h almoço
·         14h Partilha das experiências significativas de enfrentamento ao tráfico de pessoas.
o   Pará: Ir. Henriqueta - CJP, acompanhamento as vítimas e denúncias do tráfico de pessoas.
Ir. Rosa Maria: (Rede Um Grito pela Vida): Pastoral nos portos e trabalho preventivo com grupos de mulheres indígenas.
o   Perú: Ciceron: Partilha do trabalho preventivo sobre o tráfico de pessoas na educação formal.
o   Manaus: Ir. Rose - Rede Um Grito Pela Vida. Articulação e parcerias. Ações de intervenção social.
o   Prof. Vereador Bibiano – Criação da Frente Parlamentar de prevenção e enfrentamento ao TP.
15:30h Intervalo 20 min
o   Tabatinga: Isalene Thiene enfrentamento ao tráfico de pessoas nas fronteiras.
o   Porto Velho: Madalena Formação de Multiplicadores – Curso de extensão UNIR.
o   Frei Xavier Plassat- CPT. Campanha: Fique de olho em não virar escravos.
e    Talitha Kum internacionalidade - E. Gabriela.

·         Fechamento do dia Ir. Gabriela –Porto Velho, tessitura dos fios da rede do dia.
·         20h Noite: partilhas de outras iniciativas internacionais (Colômbia, Guinas.)
·         Benção de encerramento do dia.


DIA 6 de março

Coordenação Eurides e Núcleo de Belém.
·         06:30h café da manhã
·          07: 30h místico (Rondônia, Acre, Peru - Mãe de Deus)
·         08h Um olhar externo: Diagnostico dos organismos previstos no I e II PNETP na Região Amazônica, desafios e perspectivas, informações e propostas de ações para os estados onde há e aonde não há NETP ou PAHM. (Heloisa Greco Alves -  Coordenadora Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - do Ministério da Justiça.
·         10h – trabalho em grupo: Um olhar interno: Diagnóstico de potencialidades e desafios no enfrentamento ao tráfico de pessoas na Região Norte. Resultado do trabalho de grupo são perguntas e propostas a serem apresentadas em um diálogo conclusivo com Eloisa Greco Alves.
·         10:40h debate com Eloisa Greco Alves -  modera Ir. Eurides.
·         12:30h almoço
·         14h Expressão corporal para motivar o compromisso de enfrentamento ao tráfico de pessoas. (Alan e Fatima Cunha)
·         14:30h Fala das três responsáveis para as oficinas para as propostas de políticas públicas para o enfrentamento ao tráfico de pessoas na região norte:
Ir. Henriqueta Cavalcante, Comissão Justiça e Paz, para o eixo da Prevenção, (Elementos para a construção de propostas e formulação de políticas públicas no enfrentamento ao tráfico de pessoas, no eixo da prevenção).
Graça Prola da SEAS- AM para o eixo da assistência às vítimas, (Políticas públicas existentes para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, elementos para a construção de propostas e formulação de novas políticas públicas, no eixo da assistência as vítimas da violência do tráfico)
Letícia Botelho para o eixo da responsabilização. (Legislação de responsabilização ao tráfico de pessoas).
·         16h Intervalo para o lanche
·         16:15h divisão dos grupos para os trabalhos das oficinas as três responsáveis.
Grupo I Ir. Henriqueta Cavalcante para o eixo da Prevenção,
Grupo II Graça Prola da SEAS AM para o eixo da assistência às vítimas,
Grupo III Letícia Botelho para o eixo da responsabilização.

·         19:00 jantar
·         Leitura dos resultados das oficinas. (Perguntas de esclarecimentos)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 7 de março

Coordenação Márcia e Madalena.

·         06:30h café da manhã.
·         07:30h mística (Roraima e Venezuela)
·         08h Mesa da circularidade com os seguintes temas – coordenadora Professora Doutora Márcia Oliveira. Cada um tem 30 minutos.
o   Tráfico de pessoas para fins de Exploração sexual e questão de gênero na Amazônia.   (Prof. Doutora Iraildes Caldas - Manaus)
o   Exploração laboral no campo, na cidade (Frei Xavier Plassat – CPT Tocantins).
o   Novos fluxos migratórios (Professora, Doutora Frances Rodrigues UFRR).

·         10:30h lanche
·          10: 45h debate
·         11:45h cochicho por proximidade para definir os pontos que queremos amarrar e dar continuidade na tessitura da Rede.
·         12:30h Almoço
·         14h Memória dos nós amarrado na rede e das propostas de políticas públicas. (Equipe de coordenação) Encaminhamento para o trabalho de grupo com a finalidade de dar encaminhamentos para propostas.
o    Fortalecer e promover o trabalho em rede, ente os Estados e Países;
o   Desenvolver propostas concretas para políticas públicas e atividades voltadas a uma efetiva prevenção do tráfico de pessoas na Amazônia.

·         Noite Cultural com jantar regional
·         Grupo de animação (Salesianos e convidados)

DIA 8 de março

Coordenação (Sandra Loyo e Eurides)

·         07h café da manhã
·         08h Plenária para conclusão e os encaminhamentos e propostas
·         Carta conclusiva do encontro.
·         Avaliação
·          Entrega do certificado.
·         Celebração eucarística conclusiva
·         Encerramento com almoço.

14:30 passeio pela cidade com quem estiver.


“... o tráfico de pessoas representa a escravidão de nossa época, a mercantilização da vida. O tráfico de pessoas desvela a ambiguidade e a violência de um modelo econômico de desenvolvimento que, em nome do lucro, considera tudo, inclusive as pessoas, como mercadoria” (Gabriela Bottani)


Nenhum comentário:

Postar um comentário