Mais notícias

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

COMUNIDADES EDUCATIVAS EM ALERTA PARA O TEMA TRÁFICO DE PESSOAS NAS OLIMPÍADAS


Com determinação e entusiasmo estamos dando continuidade ao Planejamento das ações e atividades durante a Campanha “Jogue a favor da vida”.

Por meio das sementes já lançadas em 2015 nas Unidades do Serviço Social Nossa Senhora do Parto, no Tabor de São Gonçalo (Zona Leste), neste ano realizamos, no dia 10 de agosto, duas oficinas sobre prevenção ao Tráfico de Pessoas, alertando para a questão do tráfico durante o Megaevento das Olimpíadas. Participaram 120 pessoas, sendo a maiorias de jovens.

A troca de saberes e o debate do tema foram muito produtivos. A Rede foi convidada para ampliar esta tarefa em outras unidades.

Vale salientar que a oficina concluiu-se com a colocação de uns dos participantes: O tráfico de pessoas não está longe. O temos em volta de nossas casas”.(sic)

E também se saiu deste espaço de debate e reflexão, sentindo o impacto, que tem a ver com a realidade estarrecedora das chamadas bonecas sexuais humanas, trazida por duas adolescentes. Neste momento refletiu-se sobre o modelo pornográfico imposto pelo capitalismo neoliberal, em função dos milionários, chegando ao topo máximo da desumanização, que tornam “bonecas sexuais humanas” as crianças empobrecidas. Nesse sentido, se confirma o que autor argentino Edgardo Buscáglia diz no seu último livro: tráfico de pessoas, que é um dos grandes negócios do crime organizado transnacional, é um crime contra a humanidade. Nós temos uma situação em que essas redes criminosas cometem crimes contra a humanidade em todos os lugares.” E das maneiras mais sofisticadas e aberrantes, violando direitos das pessoas e ceifando suas vidas inescrupulosamente.


No dia 16 de agosto, se iniciaram as atividades na Escola Kennedy (Escola Pública), localizada na Vila Formosa (Zona Leste). Começamos com os grupos de professores/as da manhã e da tarde, conforme a uma decisão conjunta da Rede Um Grito pela Vida e da Diretoria da Escola: dar início a essa ação de sensibilização sobre a realidade do Tráfico de Pessoas primeiro com os/as professores/as e depois com os alunos/as.

É importante ressaltar que esta escola abriu suas portas em uma votação por unanimidade dos diferentes segmentos do Conselho de Escolas, abrangendo a totalidade da comunidade educativa.

Com a primeira turma trabalhou-se o tema: Contradições e divergências do tráfico de pessoas, com a Drª. Cláudia Luna, parceira da Rede. Ir. Manuela (articuladora), ministrou a atividade com o segundo grupo. 

No dia 23 de agosto, daremos continuidade a esta atividade com outro grupo da tarde e da noite. No turno da noite a Rede vai contar com outro parceiro, Dr. Juliano Lobão, que já trabalhou no Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.



Redimensionaram-se os saberes dos/as participantes e se enfatizou o papel dos/as multiplicadores/as, num processo educativo que inclui as potenciais e capacidades de cada pessoa que compõe esta comunidade educativa. Foram convidados/as a serem comunidades educativas em alerta e sendo também alerta para alunos/as diante da aviltante realidade do tráfico humano.



Ir. Manuela Rodríguez Piñeres (OSR)  
Rede - Núcleo São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário