Mais notícias

sábado, 2 de março de 2013

23 de setembro: dia internacional contra exploração sexual e tráfico de pessoas


O dia 23 de setembro é o dia Internacional Contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças. Neste dia, em 1913, a Argentina promulgou a lei “Palácios”, a primeira lei que punia quem promovesse ou facilitasse a prostituição e a corrupção de menores de idade. Esta lei inspirou muitos outros países a proteger mulheres e crianças contra a exploração sexual e o tráfico de pessoas. 


A data de 23 de setembro foi escolhida pelos países participantes da Conferência Mundial de Coligação contra o Tráfico de Mulheres, que aconteceu em Dhaka, Bangladesh em setembro de 1999 (86 anos depois).

O Brasil é Pais de origem, destino e transito de tráfico de pessoas.

Segundo dados divulgados pela Secretaria Nacional de Justiça (SNJ), ligada ao Ministério da Justiça no dia 18 de agosto de 2010 cada ano cerca de 60 mil brasileiros são vítimas da rede internacional de tráfico de pessoas, a grande maioria das vitimas são mulheres de família de baixa renda com 18 a 25 anos de idade, traficadas por fins de exploração sexual; principais destinos: Espanha, Portugal e Suíça.

Achamos importante unir as forças para promover ações preventivas, para quebrar o silencio e a indiferença que encoberta o tráfico de pessoas.

Neste dia a vida consagrada se une a todas as pessoas que incansavelmente atuam no enfrentamento do tráfico de pessoas: na prevenção, no atendimento as vitima e na responsabilização, para denunciar esta grave forma de violação dos direitos humanos e para pedir maior compromisso e colaboração por parte das instituições governamentais e não governamentais.

Convidamos a todas/os religiosas/os não deixar este dia passar em branco, quebre o silêncio e a indiferença diante deste crime, falando com seu grupo mais próximo, seja sala de aula, grupo de oração, movimentos e pastorais.
 
"Uma em cada três mulheres jovens é abusada sexualmente antes de compleatar os 18 anos" (fonte UNESCO)  
 
Uma joventude sem violência é um direito das MULHERES!

Nenhum comentário:

Postar um comentário