Mais notícias

sábado, 2 de março de 2013

Seminário sobre Tráfico de Seres Humanos


A rainha Silvia Renate Sommerlath, da Suécia, abriu em São Paulo, no dia 25 de março/2010, um seminário sobre tráfico de pessoas e exploração sexual.
O evento reuniu autoridades policiais, promotores, procuradores e representantes dos Governos da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai, além de representantes das Nações Unidas e de organizações da sociedade civil.
Como contribuição para o debate, que pretendeu fortalecer o combate contra este tipo de crime na América do Sul, a Suécia partilhou sua experiência política e prática na área.
O tráfico de pessoas atinge pelo menos 2,5 milhões de pessoas no mundo e movimenta 32 mil milhões de dólares por ano, de acordo com as Nações Unidas.
Cerca de 90 por cento dos casos de tráfico de seres humanos relacionam-se com a exploração sexual de mulheres.
A estimativa é de que existam hoje aproximadamente quatro milhões de mulheres vítimas deste tipo de crime.
Em fevereiro de 2010, o Governo brasileiro lançou uma campanha para alertar a população sobre o tráfico de pessoas, com a distribuição de cartazes e folhetos explicativos, incentivando os cidadãos a denunciar o crime.
O Governo do Brasil está a preparar também um cadastro nacional de vítimas do tráfico de seres humanos.
Os policiais brasileiros estão particularmente atentos em relação às rotas para a Península Ibérica, que são mais atraentes por causa da facilidade do idioma.
Três painéis foram apresentados com autoridades de diversos países que trabalham no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas:

             1) Panorama do Tráfico de Pessoas e Exploração Sexual
             2) Estratégias Políticas de Enfrentamento ao TP

             3) Perspectivas práticas no Enfrentamento ao TP

Ir. Antonietta Abreu, membro da Rede “Um Grito pela Vida”, da CRB Regional de SP, participou deste evento, como representante titular da Rede junto ao Comitê Interinstitucional de Enfrentamento ao Tráfico da Secretaria de Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário